Concurso de beleza para crianças - Infância roubada?

Miss Mirim  Pequenas Misses

A pequena Miss Ana Clara Nascimento venceu em 2011, o Mini Miss Brasil e o Mini Miss Nations.

Permitir que a criança participe de concursos de beleza , como Mini Miss Brasil, é saudável para o seu desenvolvimento ou pode roubar a infância de quem deveria estar brincando com amigos ao invés de ensaiando e provando vestidos para se tornar uma pequena Miss?

Nos Estados Unidos, reality shows retratam a vida de meninas com idade entre 5 a 11 anos durante os preparativos para estes concursos. A maioria comporta-se como adultas, fazendo dietas, sustentando vestidos pesados e aprendendo a desfilar, fotografar apenas para impressionar os jurados.

O filme "A Pequena Miss Sunshine", já satirizava esta realidade desde 2006 e propunha uma reflexão sobre até que ponto as vontades da criança e da própria família devem ser realizadas.

No Brasil, o assunto ainda não ganhou programas segmentados, mas anualmente concursos infantis são realizados em todos os estados e as crianças consideradas mais bonitas disputam o Miss Brasil Mirim.

Quando esta competição é saudável não existe problema, explica o pediatra e especialista em comportamento infantil, Gustavo Teixeira, do site www.comportamentoinfantil.com. "Assim como os esportes, os concursos de beleza podem divertir e ajudar no desenvolvimento da criança desde que os pais tenham prudência e responsabilidade, para que abusos não sejam cometidos", afirma.

Recentemente, em um episódio do programa americano Toodlers & Tiaras, uma garotinha de sete anos assumiu diante das câmeras que sentia fome, pois era obrigada por sua mãe a fazer dieta. O objetivo era melhorar o caimento do vestido no dia da competição.

Segundo o médico, abusos como estes acontecem porque a mãe deposita suas expectativas e vontades em cima da filha. "Crianças só podem fazer dietas com o acompanhamento médico e em casos bastante específicos, como obesidade, diabetes ou magreza extrema. Neste caso, a atitude da mãe pode prejudicar o crescimento da filha, que precisa de nutrientes, carboidratos e proteínas para se desenvolver", explica.

Os pais precisam aprender a escutar as crianças, saber se é isso mesmo que ela quer naquele momento. Se mãe e filha encararem o concurso como uma brincadeira o resultado será mais saudável. Como é o caso da vencedora do Mini Miss Brasil 2011 e Mini Miss Nations 2011, Ana Clara Santos, de sete anos.

"A Ana Clara leva tudo na brincadeira, escolhe seus vestidos de acordo com os modelos usados pelas barbies que tem, ensaia em casa depois da escola, ouvindo música e se divertindo. E nós sempre perguntamos se ela quer mesmo participar dos eventos em que é convidada. Algumas vezes ela não quis e nós respeitamos. Mas eu sei que nem sempre é isso que acontece", conta a mãe Luciana Coelho Santos.

Segundo Luciana, é fácil descobrir quem está em um concurso de beleza por vontade própria e quem não está. "As meninas que desejam estar ali estão sempre juntas, brincando, enquanto esperam sua vez. Já as que foram forçadas por alguém ficam nos cantos, resistindo. Eu já vi até mãe gritando com a filha, pois ela se recusava a entrar na passarela", conta.

Para Gustavo obrigar pode ser torturante. Quando é desejo da criança, o concurso se torna uma oportunidade de integração entre mãe e filha. Trabalhar temas como vaidade infantil e a possibilidade de perder é fundamental e deve aproximá-las.

No caso de Ana Clara, Luciana confessa que não conseguiria desfilar na frente de tanta gente como sua filha faz, mas compreende a vontade da filha e faz questão de trabalhar os temas que podem ser prejudiciais.


"Até hoje, a Ana ganhou todos os concursos que participou, inclusive o internacional. Mas uma hora ela pode perder e eu explico isso para ela. Na sua cabecinha, trazer a coroa é importante, mas ela me diz que entenderá se não conseguir. É claro que eu tenho medo de que seja uma experiência traumática, mas faço todo o possível para evitar e ensiná-la a perder também. Já a vaidade é permitida, mas com limites. Maquiagem só é usada em dias de desfiles, os ensaios só acontecem um mês antes do concurso de forma esporádica, e o batom vermelho é banido".

Por Mariana Benjamim

Comente