Conciliando o trabalho e a maternidade

Conciliando o trabalho e a maternidade

Existem dois pontos cruciais no currículo de uma mulher de sucesso: ser uma profissional eficiente e uma mãe dedicada, tudo ao mesmo tempo. A tarefa não é fácil e não existe um curso superior que ensine a exercer as duas habilidades. Mas saiba que com alguns hábitos (e muito jogo de cintura), você pode conciliar as duas tarefas sem sofrer.

Um dos fatores que costuma incomodar as mulheres que precisam trabalhar e se dedicar à família é a culpa e a sensação de ser apenas coadjuvante na vida dos filhos. A psicoterapeuta de família e casal Adriana Savio, diz que o remorso deve ser abolido. “O mais importante é não ter o sentimento de culpa pela ausência na vida dos filhos”. Essa ausência deve ser entendida como uma forma de também exercer a vida profissional e até mesmo colaborar nos rendimentos da família.

Antigamente, as mulheres tinham de optar entre a maternidade e a vida profissional e se dedicar apenas a uma delas. Hoje, essa hipótese nem é cogitada por muita gente e o público feminino adotou vários papéis para compor a rotina diária. “Ao longo da história as mulheres foram conquistando espaço e mostrando uma competência muito peculiar ao gênero feminino, ao dar conta da dupla e às vezes tripla jornada”, ressalta Adriana.

Diante do ritmo intenso que as “supermulheres” desempenham é preciso adotar alguns rituais para não enlouquecer. Adriana, que é membro da diretoria da Associação Paulista de Terapia Familiar, diz que o mais importante é a mulher entender que não é possível dar conta de tudo. “Perfeccionismo não existe e o melhor é aproveitar cada momento que tiver livre com os filhos”. Uma forma de ficar inteirada do que acontece na vida dos pequenos é ligar algumas vezes ao dia e enviar mensagens pelo celular, por exemplo.

O momento de chegar em casa deve ser uma festa, tanto para a mãe como para os filhos.“Uma dica para agradá-los é fazer uma comida gostosa e pedir que eles a ajudem a cozinhar. Crianças adoram ir para a cozinha”, sugere.

Outra dica é tentar chegar mais cedo do trabalho ou e levá-los para jantar fora, para terem bons momentos juntos. “Muitas vezes não é necessário estar presente o tempo todo com os filhos. O mais importante é a qualidade e não a quantidade”.

Colocar os pequenos na cama pode ser uma boa hora para ficar mais perto deles. Perguntar como foi o dia, o que estão achando da escola, ver se estão com dificuldade em alguma disciplina é uma boa pedida. O tradicional hábito de ler uma história também é bem-vindo.

O final de semana também deve ser aproveitado para a mãe ficar junto de sua prole. “Combinar um passeio apenas com eles é diversão garantida”, conta Adriana. Esse hábito funciona como uma compensação para a família toda. Se não der para sair de casa, faça jogos onde todos brinquem. Isso também irá entretê-los.


Dar presentes com o intuito de fazer com que se comportem não fará com que fiquem mais próximos de você. Castigá-los quando chegar do trabalho porque se comportaram mal, também não é aconselhável. Existe hora até para a punição.

A maternidade exige a mesma responsabilidade e empenho que a vida profissional. A diferença é que cuidar dos “patrõezinhos” é muito mais prazeroso.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente