Como trabalhar sem perder o vínculo com o filho?

Como não perder o vínculo com os filhos

Quando se é mãe, sair de casa para trabalhar e deixar os filhos em casa ou na creche é sempre um tormento. Além da culpa por "abandonar" a família, essas mulheres sofrem para administrar bem o tempo, que fica cada vez mais curto por conta das constantes horas extras e do trânsito congestionado.

Porém, esta vida moderna não deve - ou pelo menos não deveria - comprometer o vínculo afetivo entre mãe e filho. O tempo de dedicação aos pequenos pode até diminuir, mas a qualidade não.

Para Magdalena Ramos, terapeuta de casais e família, mediadora de conflitos, professora da PUC e autora do livro "E agora, o que fazer - A difícil arte de criar os filhos" (Editora Ágora), a mãe precisa se fazer presente para o filho quando está em casa. "Não adianta simplesmente estar no mesmo ambiente que ele. É preciso se dedicar à criança, querer fazer parte da vida dele, saber das suas necessidades, o que fez ao longo do dia e ajudar nas tarefas escolares", orienta.

A especialista conta que algumas crianças mudam de comportamento ao se sentirem "abandonadas" pela mãe. Ficam quietas e desinteressadas pelas coisas e chegam a dar problemas na escola. "Quanto mais novo o filho, maior a necessidade da presença da mãe. E quando ele inicia a fase escolar, entre dois e três anos, já começa a ter o seu ‘mundinho’ e a criar laços com amiguinhos e professores", explica Magdalena. Mas alerta: "Esse novo universo não supre a ausência da mãe, mas faz com que o filho fique mais entretido."

É importante ressaltar que esta mudança comportamental da criança depende de como a mulher lida com a situação. "Geralmente a mãe chega em casa e tem muitas coisas para fazer: responder aos e-mails, cuidar da casa, do marido. Porém, ela precisa encontrar tempo para se relacionar com os filhos", diz a terapeuta. "Durante o dia, ela pode recorre ao telefone ou e-mail. E se tiver o privilégio de trabalhar pertinho de casa, deve passar rapidamente por lá para ver o que eles estão fazendo", aconselha.

Segundo Magdalena, qualquer mãe se sente culpada por deixar o filho em casa ou na creche para poder trabalhar. Porém, o quadro se torna grave quando a mãe evita dar bronca nos filhos, alegando que passa o dia todo fora e que não quer ‘estragar’ este curto período com medidas repressoras. "Isso é péssimo! Independente do tempo que se passa com a criança é preciso educá-la! Dar tudo e não mostrar limites não faz nada bem à relação. A mãe tem que mimar e dar afeto, mas se ela não impuser limites outra pessoa fará isso", alerta.


Na maioria das vezes, o contato entre mãe e filho acontece durante o café da manhã. Então, uma dica é aproveitar este momento rápido para conversar e, quem sabe, combinar algo para fazerem juntos à noite. É uma forma de mostrar que, apesar da correria do dia a dia, você faz questão de reservar um tempo para ficar com ele. Que tal?

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente