Como lidar com filhos agressivos

Como lidar com filhos agressivos

É na infância que começam os nossos primeiros contatos com a sociedade, alguns responsáveis por criar a nossa personalidade ou mesmo ditar comportamentos que continuarão para o resto da vida.

Crianças mordem, beliscam, chutam e pegam onde não devem, o que é bastante comum, afinal, elas ainda não sabem discernir o que é certo e errado dentro de casa ou mesmo na escola. "Testar as capacidades que nosso corpo pode fazer como chutar e gritar ou experimentar o corpo de outra pessoa, mordendo ou beliscando, é um importante aprendizado", explica Antoniele Fagundes, consultora familiar.

É nessa hora que começam osprimeiros "nãos", melhor dizendo, que os pais devem impor limites, principalmente quando comportamentos simples, como bater nos próprios coleguinhas, se torne algo freqüente, sempre mostrando que não é preciso machucar o próximo para conseguir o que quer.

Uma forma de corrigir comportamento errados é deixá-las de castigo, mas nem sempre é uma solução definitiva na hora de se educar a criançada. "O castigo pode ser temporariamente satisfatório para os pais. No entanto, pelos exemplos que tenho acompanhado, apenas dá uma pausa e faz a criança muitas vezes ficar mais tensa ao ter que lidar sozinha e quieta com aquelas sensações de euforia e agressividade", aponta Antoniele. Conforme a consultora familiar, a melhor forma de agir quando os pequenos passam dos limites quando agridem alguém é conversar de forma firme, sem responder com violência.

Entretanto, conforme a sua experiência, ela conta que muitos pais têm uma atitude passiva por uma simples razão: muitos deles se culpam por não passar tempo suficiente com o filho e deixam de lado o papel de educador enquanto estão juntos no curto período que resta. "Isso sem dúvida é um fator importante na observação de um quadro de agressividade infantil", ressalta, pois quando os pais ou educadores não impõem regras claras e firmes, a criança sofre com a falta de alguém para limitar suas ações.

A partir de algumas regrinhas básicas, impostas de forma firme e delicada, as crianças aprendem a controlar seus impulsos, mais do que isso, lidar com as frustrações para conviver de forma saudável no futuro. "Se ocorrer o contrário - elas tiverem um comportamento agressivo já nos primeiros anos de vida - vão apresentar mais riscos de problemas comportamentais no futuro, como delinquência juvenil, violência, quando adultos, e criminalidade. São vários os fatores que podem colaborar para o desenvolvimento da agressividade nas crianças, incluindo principalmente o nível de disciplina exigido pelos pais", acrescenta Ricardo Teixeira, doutor em Neurologia pela Unicamp.


Além do castigo, muitas vezes os pais recorrem às palmadas, um método não muito aprovado pelos especialistas, pois quem apanha tem mais chances de se tornar um adulto agressor, sem contar que a força física nunca educa: sem o diálogo a criança não entende porque não deve repetir o comportamento. O segredo é sempre usar posturas firmes e carinhosas para equilibrar a situação. "Através de conversas esclarecedoras, os pais podem se dar conta que pequenos gestos contribuirão para a felicidade maior do filho e harmonia familiar", finaliza a consultora.

Por Juliana Lopes

Comente