Como falar sobre o luto com as crianças

Como falar sobre o luto com as crianças

A perda de entes queridos e animais de estimação são parte de um ciclo da vida. Mas para os pequeninos é difícil lidar com isso. As crianças podem reagir de várias formas e os pais podem não saber como abordar o assunto com os filhos. Mas como falar sobre luto com as crianças? O pediatra Dr. Marcelo Reibscheid, do Hospital e Maternidade São Luiz, criador do portal Pediatria em Foco, afirma que o primeiro passo é falar a verdade.

Normalmente os pais substituem prontamente um peixinho ou um cachorro que morre para que a criança não perceba o fato. Mas segundo o pediatra isso pode ser prejudicial ao entendimento da criança, apesar das boas intenções. Expressões como "descansou" ou "foi fazer uma longa viagem" podem dar a entender que há possibilidades de retorno, o que confunde a mente infantil e bloqueia o entendimento do que realmente ocorreu. "A morte faz parte do ciclo da vida e é importante que a criança entenda o que aconteceu. Devemos usar uma linguagem que ela entenda e explicar o ocorrido de acordo com as crenças familiares. A criança precisa aprender a lidar com a perda", explicou.


A criança pode passar por varias fases e possibilidades de reação: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. De acordo com Reibscheid, a criança constrói o conceito da morte de acordo com o desenvolvimento cognitivo. O carinho e o amparo dos pais nesse momento é fundamental para a construção do desligamento sem traumas. A aceitar é o primeiro passo para o luto. "O acolhimento emocional é muito importante, pois reações como raiva, depressão, pesadelos e outras alterações de comportamento são normais. Em casos de permanência prolongada desses sintomas recomenda-se procurar auxílio de um especialista", alerta Dr. Marcelo.

Por Catharina Apolinário

Comente