Como escolher uma boa escola?

Como escolher uma boa escola

Dentre as inúmeras preocupações que os pais têm com os filhos, escolher a escola é uma das que pode dar grande dor de cabeça. Mais do que apenas uma instituição educacional onde ele passará grande parte do dia, é a escola que ajuda a lapidar o caráter e a personalidade da criança. E se ela não for escolhida de forma adequada, pode ser prejudicial não apenas no âmbito escolar como também no social.

A coordenadora de educação infantil Sueli Silva de Almeida, do Colégio Mackenzie, de Brasília, diz que um dos pontos importantes que deve ser observado com atenção é a infra-estrutura. “É imprescindível analisar se a estrutura física apresenta ventilação adequada, espaço ao ar livre, mobiliário compatível com a idade, banheiros, parquinho, biblioteca e locais para prática de esportes”, fala.

Segundo ela, os pais também devem analisar se a escola respeita as fases de desenvolvimento da criança e, se oferece um ambiente rico para aprendizagem, seguro e acolhedor. “Conhecer a equipe de professores, os técnicos especializados e o material pedagógico são fatores indispensáveis para uma escolha mais acertada”, explica Sueli.

Se informar sobre a linha pedagógica utilizada pela instituição e perguntar aos educadores as técnicas utilizadas para desenvolver as habilidades da criança também são atitudes importantes. A coordenadora afirma que a maior parte das escolas se guia pelo construtivismo, método que considera as crianças prontas para aprender a partir da própria realidade, sem o auxílio de cartilhas especiais. Ideal é que a escola tenha afinidade com os valores e atributos que a família considera importante.

Sueli alerta que um dos erros que os pais mais cometem é matricular o filho em uma escola muito voltada para o vestibular, ainda pequenos, ocasionando um quadro de estresse. “Esta fase é a mais importante para promovermos autonomia, independência, confiança e, assim, prepararmos a criança para enfrentar futuramente qualquer escolha com segurança e prazer”, explica.

Vale lembrar que não é sempre que os pais acertam na escolha de uma instituição educacional para os filhos. Diante disso, é importante os adultos terem em mente a possibilidade de procurar outra escola. “Se a família não acredita ou não confia na instituição, não tem como haver parceria”.


Mas ainda mais importante do que escolher o melhor lugar, é fazer parte da vida escolar da criança, fazendo da família uma extensão da escola e vice-versa. “Os pais devem construir uma relação de confiança, parceria e diálogo com as equipes pedagógicas e administrativas. Devem considerar que suas colocações são relevantes, pois tudo o que diz respeito ao filho é importante e exige atenção”, opina. Pais que estabelecem relação estreita com a escola e de cumplicidade com os filhos sempre tiram nota dez.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente