Como ensinar os filhos o significado do Natal?

Como você fala do Natal para seu filhos

Foto: Jutta Klee/Corbis

Faltam poucos dias para a celebração do Natal, data em que as famílias, cada uma de acordo com a sua religião, se reúnem para festejar e agradecer por mais um ano de conquistas.

Esse período é sempre o mais marcante para as crianças, pois elas esperam ansiosamente pela chegada do Papai Noel e, obviamente, pelos presentes que virão dele e também dos pais, tios, padrinhos e assim por diante. Mas, embora esses itens sejam muito importantes para os pequenos, o significado do Natal não se resume a isso.

Para Maria Edna Scorcia, diretora pedagógica do Colégio Joana D´Arc, independentemente da concepção religiosa da família, o Natal não é uma data que passa indiferente, pois a celebração sempre traz consigo um espírito de mudança e de renovação. "Os pais podem até falar sobre a história bíblica, se quiserem, contando sobre o nascimento de Jesus, mas o mais importante é estimular esse clima de amizade e todos os valores que o Natal envolve", descreve ela.

Maria Edna relata que é muito importante que as crianças saibam o significado do Natal, até para que possam sentir essa emoção que envolve a data, trazendo valores como solidariedade, amizade e partilha. "No ensinamento sobre a data deve ser evitado o consumismo, já que muitos pais dão presentes sem significado algum", ensina ela. "Não precisa tirar o presente, ele é importante sim, mas muitos acabam ignorando o significado daquela noite e do próprio presente e dando importância apenas ao que vão ganhar", complementa.

O auxiliar administrativo Francisco Oliveira, de 30 anos, pai da pequena Luiza, de quatro anos, e de Pietro, de seis, relata que passa para seus filhos os mesmos ensinamentos que recebia de seus pais na infância. "Embora eles sejam pequenos, eu sempre falo que o Natal é para celebrar o nascimento de Jesus. Não costumo comprar muitos presentes para que meus filhos não associem a data apenas ao consumismo", diz.

Ele garante que o fundamental é passar valores sobre como amar ao próximo, respeitar os coleguinhas na escola e aos mais velhos, ser obediente aos pais e ser solidário. "Sempre falo que existem muitas crianças que não têm o que comer nem o que vestir. Então, peço para que eles peguem brinquedos que não usam mais para doar. No início era difícil a Luiza se desligar dos objetos, mas depois ela começou a ‘imitar’ o irmão", informa.

A escola também é o ambiente em que as crianças aprendem o significado do espírito natalino. "Ela ensina muito sobre a data na medida em que fala sobre seus valores e desenvolve trabalhos que envolvam solidariedade, doação e outros valores pregados por Cristo", explica a diretora pedagógica. "Realizamos trabalho voluntário em entidades com crianças carentes e asilos, fazendo essa associação entre os valores do Natal e a importância dessas atividades", completa.

Segundo Maria Edna, na escola não há interação direta da criança com a data, porque existem pessoas judias, budistas e de outras religiões. Por este motivo o foco são os valores. "Fechamos sempre o ano com uma festa de confraternização, que conta com esse espírito similar ao do Natal", informa.

A profissional ressalta que é importante presentear não apenas as crianças, mas qualquer pessoa, desde que seja sem consumismo. "O presente é a lembrança da existência do outro na sua vida. As crianças, desde que possível, devem ganhar presentes, sempre lembrando o significado daquilo tudo. Quando ela entende isso, passa a valorizar muito mais", explica.


A diretora pedagógica acredita também que o mais importante é os pais sentarem e falarem sobre o significado do Natal, além de aproveitarem o momento para ensinar sobre a história daquela tradição, como isso foi comemorado em diferentes épocas e sociedades. "Muitas crianças não acreditam mais no Papai Noel e isso é uma tragédia. Infelizmente, muitas ganham presentes o ano inteiro, sem merecimento algum, o que representa uma deseducação", avaliou.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente