Como ajudar os filhos na TPP (Tensão Pré-Prova)

Como ajudar os filhos na tensão prévest

Foto: Gary Edwards/Corbis

Insegurança e ansiedade são sentimentos muito presentes no cotidiano de qualquer jovem que tenta entrar na universidade de seus sonhos. E o estresse dessa época, pré-vestibular, também é enfrentado pelos pais, afinal é o futuro profissional de seu filho que está em jogo.

Para lidar com tantas preocupações, os jovens precisam de muito apoio da família e, de acordo com Fernando Elias José, mestre que há mais de quatorze anos trabalha com psicoterapia na abordagem cognitivo-comportamental direcionada à preparação emocional de candidatos para provas, vestibulares e concursos, uma cobrança saudável também é necessária. Ele explica que essa cobrança auxilia o filho a manter o foco e render nos estudos.

Outra dica é conversar com o filho franca e abertamente, questionando-o de que forma ele acha que a ajuda dos pais poderá ser recebida. "Estabelecer em um primeiro momento como essa ajuda irá acontecer ao longo do ano, de forma realista e ‘com os pés no chão’, irá evitar atritos desnecessários e futuras frustrações", orienta.

No caso do período que antecede o vestibular, como este será naturalmente de muita tensão, é importante estar atento para não tornar este momento ainda mais tenso. Transmitir confiança e tranquilidade para o jovem são outras atitudes necessárias. "O ideal é que o ambiente familiar seja calmo e sem discussões, com TV, som ou rádio em baixo volume", sugere.

O incentivo e apoio da família é fundamental nessa fase. "Como muitos jovem têm receio de decepcionar os pais, caso não sejam aprovados, isto representa um estresse a mais no processo da prova", diz José. Por isso, ofereça sempre apoio e confiança ao seu filho.

O mestre, que também é autor do livro "Concursos Faça Sem Medo - Entenda, domine e supere os desafios", destaca que o vestibular ‘faz parte da vida’, porém, ‘não é a vida’. Sendo assim, o jovem precisa de momentos de distração. "O final de semana pode e deve conter momentos de lazer, mas mantendo também algumas horas reservadas ao estudo", avalia.

Caso o estudante esteja encontrando dificuldade em estabelecer uma rotina de horário saudável procure oferecer ajuda e propor um cronograma que inclua horas de sono, descanso e alimentação correta, além, é claro, de estudo. Mas, na véspera da prova, nenhum hábito deve ser alterado.

Sendo assim, de acordo com Fernando, se a alimentação que foi mantida nos últimos tempos não foi a ideal, essa mudança não pode ocorrer antes da prova. "As mudanças que não foram realizadas com antecedência devem ser deixadas para depois das provas."

Quanto ao sono, caso do estudante não possa um hábito regular durante aproximadamente quinze dias que antecedem ao teste. "Ele precisa acordar no horário que acordará no dia da prova, mantendo a média de oito horas de sono por noite para que o organismo vá se acostumando e não se sinta desconfortável ou estressado pelo fato de levantar em um horário diferente", ensina.

Já sobre as horas dedicadas ao estudo, o mestre orienta: "Nos dois ou quatro dias que antecedem a prova deve-se ir reduzindo o ritmo de estudos, podendo-se até parar, pois o candidato necessita estar bem descansado. Mas esta indicação deve respeitar o ritmo pessoal de cada estudante".

Como a maioria dos candidatos no período antes da provas passa pela chamada TPP (Tensão Pré-Prova), José reforça que o papel dos pais nesse momento é lembrar e ratificar a calma, confiança e positividade nos filhos, para que eles encontrem dentro de si esses pensamentos e sentimentos.

E ao tentar demonstrar interesse nunca exerça uma enorme pressão nos adolescentes que estão se preparando para o vestibular, fazendo dele o assunto frequente nos momentos de encontro. "Mesmo na melhor das intenções, esta atitude ao invés de estimular o estudante acaba fazendo com que aumente a sua ansiedade em relação à proximidade da prova. Por isso, nos momentos de lazer e de convívio familiar, dedique-se para que o vestibulando possa desviar o foco e relaxar das tensões", instrui o especialista.

Fernando Elias José destacou os tópicos fundamentais para ajudar seu filho. Acompanhe:

- No dia a dia converse com seu filho, pergunte se está tudo bem com ele e com sua rotina. Não pergunte o tempo inteiro como estão os estudos;

- Questione seu filho como você pode ajudá-lo neste momento;


- Ao observar que o estudante apresenta dificuldades em alguma matéria, estimule-o a estudar mais e lembre que ele tem condições de superar as dificuldades!

- Utilize sua experiência pessoal como forma de auxiliar no crescimento do seu filho;

- Fique atento para não faltar afeto neste momento difícil para o jovem;

- Procure incentivar os períodos adequados de estudos, lazer, alimentação e sono. O equilíbrio entre esses fatores é fundamental para um estudo com qualidade e quantidade necessária para a aprovação.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente