Cartão magnético controla o lanche escolar

Cartão magnético controla o lanche escolar

Crianças correndo escada abaixo para conseguir um bom lugar na fila da cantina, afinal, o tempo do recreio é curto, uma realidade que vem mudando aos poucos em algumas escolas particulares.

Ao invés das filas intermináveis, o atendimento é rápido e simples. Tudo isso por causa do cartão magnético, esse já utilizado em algumas escolas paulistanas, entre elas, Colégio Santa Marcelina, Colégio Marista Arquidiocesano, Colégio Miguel Cervantes, entre outros.

O Colégio São Luis já usa o método há mais de quatro anos. Os pais carregam o cartão com uma quantia e limitam o que o filho pode gastar por mês. “As crianças com patologias (diabetes, colesterol alto) recebem uma indicação no cartão e a cantina sabe que não poderá vender certos alimentos. Além disso, elas também aprendem a lidar com a gestão do dinheiro. Pais e escola aprovam a iniciativa”, comenta a coordenadora Melita Grams.

A instituição aderiu ao cartão da School Cook, que permite aos pais observar o cardápio das crianças via internet, restringir certos alimentos e até escolher tudo o que o filho pode comer.

Os pais também podem optar pelo kit lanche, com a programação para todo mês.


Mas o Colégio São Luis prefere deixar que as próprias crianças escolham o cardápio. Durante as aulas e no recreio, a equipe de nutricionistas indica os melhores alimentos e não chega a impor o cardápio. No lugar de fotos de salgadinhos e refrigerantes, a cantina tem imagens mais atraentes de sanduíches naturais e salgados mais leves.

"Os pais fazem o controle com o extrato obtido no final do mês, assim como um cartão de crédito, e observam o que está sendo consumido pelos alunos, dessa forma elas aprendem na prática os conceitos da educação alimentar", finaliza a coordenadora.

Por Juliana Lopes

Comente