Cartão ajuda a entender os sentimentos dos filhos

Cartão ajuda a entender os sentimentos dos filhos

Foto: divulgação

É normal o humor da criança mudar de repente. Com isso, as mães acabam não sabendo o motivo de ela estar feliz ou triste quando ainda tem pouca idade, o que influencia na comunicação. Porém, foram desenvolvidas ferramentas que podem ajudar os pais na identificação do estado do pequeno, como um medidor de humor que, atualmente, tem sido bastante empregado . Bastante simples, trata-se de um cartão com carinhas que expressam felicidade, indiferença e tristeza.

"Ele desperta um diálogo sobre como a criança se sente diante de determinadas situações. A partir disso, pai e mãe devem orientar o filho na compreensão de seus sentimentos. É uma maneira lúdica para os pequenos poderem se expressar. O acessório tem mais valor por lembrar tanto a criança quanto os pais de estarem atentos ao que sentem", explica Jéssica A. Fogaça, psicóloga infantil comportamental e arte educadora.

Segundo ela, esse medidor é muito importante, pois o estado emocional da criança deve ser respeitado e orientado. "Quando ela está brava, por exemplo, pode ficar um pouco isolada até se acalmar, mas ela nunca deve ‘descontar’ nos outros. Por isso, os adultos devem direcioná-la, explicando como lidar com a situação, principalmente, quando se tratam de sentimentos mais agressivos. Nesse caso, é preciso cuidado."

Também é fundamental esperar o momento certo para perguntar o motivo da alteração. "Se estiver em condições de responder, pode-se perguntar. Caso contrário, vale à pena aguardar um pouco. Nem tudo pode ser resolvido na hora em que acontece e, às vezes, a criança precisa de mais tempo. Ela deve experimentar o sentimento em questão e aprender a processá-lo. Mas o diálogo, com certeza, auxilia os pais a conhecê-la melhor e, então, ajudá-la no que for possível", detalha Jéssica.

Além de medir o humor, o acessório em questão pode ser utilizado para outras finalidades. "Por exemplo, para brincar com a criança, introduzindo outros contextos, como se ela concorda ou não com as regras da casa. Ele também ajuda no treino de descrição de comportamentos, como no caso dos pais o adotarem para ilustrar se gostaram ou não de uma determinada atitude do filho ou mesmo para a criança fazer o mesmo em relação ao pai, à mãe e aos irmãos", adiciona.


Vale ressaltar que não existe somente esse medidor que facilita o diálogo entre você e seu filho. "Os pais podem criar seus assessórios. O acesso a material de pintura (papel, lápis de cor, giz de cera etc) é recomendado, facilitando que a criança registre e expresse o que sente, pensa e observa. A massa de modelar também é uma ótima opção, já que estimula a criança a se concentrar em um trabalho e a usar o tato, além de produzir um objeto, algo concreto daquilo que pensou ou sentiu. Histórias criadas pelos pais para dar exemplos também são bem-vindas, pois falam de assuntos importantes de maneira mais lúdica e indireta, assim como livros infantis", finaliza a psicóloga.

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente