Calor pode afetar mais as crianças

Calor pode afetar mais as crianças

Foto: Divulgação

Em dias de calor intenso todo mundo sofre, contudo as crianças estão mais expostas a possíveis doenças relacionadas ao aumento de temperatura. Insolação, desidratação e até mesmo queimaduras são só alguns dos males que a estação pode causar. Por isso, é importante tomar cuidado ao deixar os filhos brincarem no sol e agir rapidamente, caso alguns dos sintomas sejam apresentados.

Segundo a pediatra e infectologista, Melissa Palmieri os principais riscos estão no calor e no excesso de umidade. "Os pais devem ficar atentos e evitar a ocorrência de desidratação, intoxicação alimentar, insolação, queimaduras e outras doenças infecciosas que aumentam no verão, como dengue, febre amarela e diarreias", diz a especialista.

Embora menos comum do que a dengue a febre amarela ainda afeta algumas pessoas no país. Além de manter a vacinação em dia, é recomendável que se use repelente se um caso for descoberto na redondeza.

Os riscos de contrair uma infecção alimentar também aumenta nesta época, principalmente porque as crianças não prestam atenção no que estão comendo e com o calor muitos alimentos tendem a estragar mais rapidamente. "Elas devem beber somente líquidos que estejam seguramente envasados, já que tomar a água de torneira, por exemplo, pode aumentar o risco de doenças no sistema digestivo, causando diarreia e vômitos. Outro cuidado é oferecer apenas alimentos lavados, descascados ou cozidos", ensina a especialista.

Caso a criança venha a ter vômitos e diarreia não se deve impedi-los, pois é por meio deles que irá colocar para fora o vírus ou bactéria que lhe fez mal. Contudo, fique atenta. "O prolongamento desses sintomas pode causar desidratação. Por isso, durante todo o período deve-se sempre ofertar líquido para a criança e uma dieta leve", alerta a médica.

Além disso, a pediatra recomenda o uso de protetor solar todos os dias."A cultura de passar protetor somente na praia ou em dias de piscina é completamente errada. As crianças, quando expostas aos raios ultravioletas, necessitam de proteção. O câncer de pele continua fazendo vítimas, e as crianças estão entre elas", adverte ela. Para ela, o melhor remédio é manter os filhos na sombra, sempre que possível.

Por Mariana Benjamim

Comente