Caligrafia ainda é importante no aprendizado das crianças

Caligrafia é importante no aprendizada

Talvez você ainda tenha tido aulas de caligrafia no colégio, mas dificilmente seus filhos terão aquele caderno especial para praticar a escrita. Na era da informática o escrever a punho já não é tão frequente, o que prejudica a comunicação, uma vez que há situações essenciais em que apenas o texto feito a mão é aceito, como redação de vestibular, por exemplo.

A palavra caligrafia vem do grego kallos (beleza) e graphos (escrita), o que resulta em escrita bonita. A educação escolar de uma criança começa basicamente pela escrita. Ela aprende a ter atenção, concentração e dedicação para com a atividade que está realizando. "Ela precisa fazer esses sinais de maneira clara, para que possa se fazer entender. Tem que cuidar da postura e da beleza", diz o professor com 45 anos de experiência, Antônio De Franco Neto, membro da terceira geração da Escola de Caligrafia De Franco.

Ele conta que, para a criança que está tendo as primeiras aulas de caligrafia, o mais importante é a correção adequada dos exercícios. "Não adianta uma pessoa comprar um piano e ficar ali tocando aleatoriamente, ela pode até tirar um som, porém não conseguirá sucesso na atividade sem alguém que lhe ensine e corrija", diz o professor.

"O aprendizado deve começar pelos traços básicos. Normalmente optamos pelas vogais minúsculas, maiúsculas, depois consoantes e numerais", afirma De Franco Neto, ressaltando que o mais importante é a correção. Outro fator determinante para a caligrafia de adultos e crianças é a postura corporal. "Uma postura correta, inclusive dos dedos influencia muito na letra. Você deve se sentar com as pernas juntas, os pés pousados no chão e a coluna ereta, formando 90° em relação à mesa", recomenda o professor.

Se você pensa que apenas as crianças têm que tomar este cuidado na hora de escrever, se engana. Os adultos devem ter atenção redobrada na hora da escrita manual. Saiba que uma boa letra pode determinar a sua aprovação ou reprovação em um exame vestibular ou concurso público. De Franco Neto também afirma: "Se o corretor da redação não entender o que o candidato escreveu ele não vai ficar perdendo tempo para tentar decifrar, afinal ele tem outras 1.000 provas para corrigir."


O mesmo acontece em uma empresa, tanto o seu subordinado quanto os seus superiores devem entender com clareza a mensagem que você deseja passar. "Uma letra feia dificulta a leitura e também a interpretação do conteúdo escrito. O ideal é que você se sente de forma adequada e segure a caneta de forma adequada", ensina o professor.

Outro grande exemplo de problemas que uma má letra pode trazer está relacionado à medicação equivocada. "As letras ilegíveis de médicos podem provocar grandes problemas na hora de adquirir o medicamento, assim como interpretar as dosagens", ressalta De Franco.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente