Cálcio na fase de crescimento

Cálcio na fase de crescimento

O cálcio é um dos elementos essenciais para o organismo. Ele controla funções importantíssimas do corpo como regulação dos batimentos cardíacos, contrações musculares, impulsos nervosos e, particularmente, o desenvolvimento correto de ossos, dentes e cartilagens, principalmente na infância, quando o corpo está em fase de crescimento.

Como afirma o pediatra Victor Nudelman, do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, "o cálcio é parte fundamental integrante de qualquer célula do corpo", portanto deve receber uma atenção especial. Consumir a quantidade correta de cálcio, que é de pelo menos 600 mg por dia, segundo a Anvisa, é essencial para o desenvolvimento correto da criança e, na fase adulta, ter um esqueleto com a formação adequada do nutriente garante uma menor perda de massa óssea.

A melhor forma de consegui-lo é através da alimentação saudável. As principais fontes de cálcio são leite e derivados (queijo, iogurtes, requeijão, etc.) e também verduras de cor verde-escura, como espinafre, couve, brócolis e escarola. Segundo Victor, a falta desse nutriente pode causar desde ossos amolecidos e até má formação óssea. Isso é perigoso, pois "os órgãos internos ficam desprotegidos e as estruturas internas ficam mais vulneráveis", alerta o médico.

As mamães também devem ficar atentas à quantidade de vitamina D consumida durante o dia. De nada adianta o consumo do cálcio sem o equilíbrio com o consumo de vitamina D, pois é ela que propicia a absorção do nutriente pelo intestino e pelos ossos. "Sem ela, o cálcio passará direto para as fezes", afirma o pediatra. Ou seja, o nutriente vai sair do organismo exatamente do jeito que entrou, sem ser absorvido.


Como a vitamina D é sintetizada através do sol, normalmente crianças ou mesmo bebês não conseguem atingir a quantidade necessária. Nesses casos, a suplementação - indicada por um médico - já é suficiente para suprir a falta da vitamina. "Crianças que moram em locais mais ensolarados, como a praia, podem até conseguir uma quantidade boa de vitamina. Mas as da cidade normalmente precisam de suplementação até os dois anos de idade", finaliza Victor.

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

Comente