Brincadeiras tradicionais para crianças

Brincadeiras tradicionais para crianças

Você lembra-se de jogar amarelinha, pique - esconde, bolinha de gude e pular corda? Pois, de acordo com especialistas, estas brincadeiras são puro raciocínio prático. Na era digital, a prática destas brincadeiras é uma maneira da criança exercitar-se e interagir.

A psicopedagoga e mestre em neurolinguística pela UFRJ, Heloísa Lima, explica que o ser humano precisa se exercitar para aperfeiçoar as ações. "Portanto quem não brinca de pique-pega, de queimado, de balanço, de escorrega, de bambolê, de pião, de bolinhas de gude, de batatinha frita, de roda, de gato e o rato, enfim... é ruim da cabeça ou doente do pé, como diz a canção", afirmou.

Ela lembra que Jean Piaget colocou em sua teoria do desenvolvimento da inteligência que o nível sensório motor, aquele que fundamenta todo o raciocínio matemático, começa no ato de engatinhar. "Brincar é gostoso e as crianças suplicam por brincar no "playground" exatamente pela necessidade intrínseca de explorar tanto o espaço físico, como despender energia, se socializar, interagir e desenvolver as regras do convívio em sociedade", lembrou.

Para a especialista essa questão está muito mal organizada na sociedade atual. "O virtual não substitui nem superpõe o real, aí mora o perigo e a grande interrogação do adulto de hoje", ressaltou.

Estas brincadeiras vêm se perdendo entre as gerações por conta, inclusive, por uma questão de logística. "Aonde brincar? Rua não pode, play sozinho é arriscado, escola não propõe, dizem algumas que não tem tempo para tal, pais não tem nem paciência nem tempo real, enfim... vamos muito mal nesses tempos de transição entre o genuíno e o deslumbramento da tecnologia", afirmou. Mas a psicopedagoga dá dicas de brincadeiras tradicionais e como realizá-las:


De roda: sem eliminar a criançada da roda, implemente um jogo enquanto canta a canção.

De gude: sente com o grupo de amigos e seu filho e ensine as regras básicas. Se Não tiver chão de terra, use giz de cera e fita crepe para marcações.

Jogo de botão: Em dia de chuva é uma delícia. É a representação simbólica do jogo mais amado do Brasil;

De boneca: Pentear, trocar a roupinha, fazer comidinha, fazer as roupinhas. É preciso propor isso às crianças. Arrumar material e aquecer a idéia junto com as crianças. Crianças necessitam de comando para se tornarem seguras e bem amadas.

Por Catharina Apolinário

Comente