Brigas entre primos - como agir em família?

Brigas entre primos  como agir em família

Se as brigas entre irmãos, comuns e naturais em toda família, exigem atenção especial por parte dos pais, o que se dirá das brigas entre primos? Sim, os primos, quando crianças, também brigam e se amam ao mesmo tempo, disputam desde a posse dos brinquedos à atenção dos adultos da família, e por isso podem causar verdadeiras saias justas entre seus pais, sejam eles irmãos ou cunhados, que acabam repreendendo também os sobrinhos. É possível lidar com esta situação sem que os desentendimentos infantis terminem em guerra na família?

A jornalista Andréa Costa, que usa este nome fictício para não ser identificada pela própria cunhada, diz que está sempre ‘pisando em ovos’ quando a família se reúne e seus dois filhos encontram uma priminha. "As brigas são constantes e por motivos banais. Às vezes reconheço que meus filhos estão errados, mas outras vezes não são os culpados pelos desentendimentos. Mas minha cunhada não admite que eu fale com a menina e, se eu falo, ela demonstra enorme desagrado. Chega a evitar nossa presença nas reuniões familiares". Ao mesmo tempo, Andréa diz que os filhos sempre pedem para brincar com a prima, pois sentem saudades dela.

Na verdade, diz a psicóloga Zuleika Olivan, tudo depende da tolerância e imparcialidade dos pais, que devem aproveitar as brigas entre os primos para, inclusive, educá-los.

"Brigas entre primos, quando crianças, são naturais e podem até favorecer o amadurecimento da relação entre eles. Afinal, nem sempre a discussão é negativa. Ela faz parte do desenvolvimento infantil e ajuda a enfrentar situações de frustração", diz a psicóloga. Por isso, ela ressalta, os pais devem observar e deixar que as próprias crianças resolvam o problema, procurando não tomar partido favorável em relação a uma ou outra.

"É claro que, se os pequenos cometerem excessos, como bater ou xingar, os pais devem intervir e ensinar a criança que tal atitude é incorreta. O que não se deve é superproteger o filho e transferir para o primo algum tipo de sentimento negativo que por ventura guardarem em relação aos pais da outra criança".


Segundo Zuleika, os primos que conseguem resolver suas brigas sabendo que devem se respeitar mutuamente mesmo quando se desentendem têm tudo para se tornarem grandes amigos no futuro. "Normalmente, os dois lados envolvidos na briga têm sua parte de culpa. Os adultos não devem depositar nas crianças suas insatisfações e superproteger um ou outro. Devem, sim, ensiná-los a não passar dos limites e deixá-los conviver naturalmente".

Por Adriana Cocco

Comente

Assuntos relacionados: crianças pais família irmãos brigas primos