Bolsa de mãe é depósito da família!

Bolsa de mãe é depósito da família

Foto: Image Source/Corbis

Celular, batom, chaves, carteira, óculos de sol... Esses são apenas alguns dos itens que as mulheres costumam levar na bolsa. E, por menor que elas sejam, basta ajeitar um cacareco aqui, apertar um pouquinho ali e pronto! Sobrará espaço para mais um objeto que consideramos indispensável.

Pior ainda se for de mãe! Além dos itens pessoais que elas costumam carregar para seu cuidado pessoal, sempre tem a carteira e o óculos do maridão, algum brinquedinho dos filhos pequenos e ainda uma nécessaire de maquiagem da filha adolescente. Ou seja, a bolsa de mãe é um verdadeiro depósito da família.

A tecnóloga em informática, Danielle Cardão, 29 anos, conta que sempre sentiu muito ciúmes das suas bolsas, no entanto, o acessório parece nem lhe pertencer mais. "Algumas vezes, quando saio, levo uma somente com meus pertences só para dizer que é minha", brinca ela.

Porém, a preocupação de levar o necessário para seu filho, Daniel, de três anos e nove meses, lhe impede de ter uma exclusivamente sua. "Sempre acabo levando algo, nem que seja os lenços umedecidos na minha bolsa", relata ela. "Quando a mulher é mãe, nunca mais consegue usar uma bolsa pequena, principalmente quando eles são ainda bebês", completa.

Entretanto, ela relata que tem conseguido diminuir o tamanho do acessório. "Eu não consigo sair de casa sem uma muda de roupa para o meu menino. Minha bolsa é cheia de brinquedos, lápis, canetinha e tem até caderno", descreve. E tem mais! Ela informa que nunca faltam balas ou pirulitos, boné, protetor solar, mamadeiras, leite em pó, manta ... ufa!


Mas, em meio a tantos cacarecos que carrega, ela diz que se diverte com algumas surpresinhas que encontra: "Certa vez fui ao dentista e, na correria do dia a dia, peguei uma bolsa, coloquei a carteira, meu celular, guarda-chuva e sai de casa. Quando cheguei ao consultório, assim que abri a mesma para pegar os documentos, encontrei um desenho que Daniel tinha feito no parquinho dias atrás e comecei a rir".

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente