Atividades para crianças - a idade ideal

A idade ideal para atividades extracurriculares

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Preocupados com o futuro dos filhos, muitos pais matriculam as crianças em atividades extracurriculares, visando que eles desenvolvam diversas habilidades e consigam ter mais chances de sucesso no futuro. Porém, é preciso que tenham cuidado com a quantidade de atividades, e, principalmente, com a idade limite para cada uma, sem sobrecarregar os pequenos ou causar problemas físicos.

Na medida certa, atividades culturais e esportivas são mais benéficas do que maléficas. Mas é preciso que o estímulo seja ideal para a idade e traga prazer, não transformando em compromisso o que deve ser recreação, sem gerar estresse. A escolha da atividade deve levar em conta também os gostos da criança, evitando jogar para os pequenos as expectativas dos pais.

Esportes recreativos - A partir dos 3 anos já estão liberadas atividades esportivas, já que antes disso a criança ainda não está apta a coordenar alguns movimentos e não tem muita capacidade para manter a atenção na mesma tarefa por muito tempo.

A modalidade mais indicada é a natação, que estimula o desenvolvimento muscular e cardiorrespiratório da criança, além de deixar os pais mais tranquilos quanto os filhos tiverem acesso ao mar ou a piscina, pois já sabem se virar na água. Mesclar diversas atividades esportivas também é recomendado, mas não deve ter nenhum compromisso com competições.

Idiomas - A partir dos 4 anos o cérebro passa por um processo de desenvolvimento acelerado, o que consolida mais rapidamente o aprendizado de um novo idioma. Na infância é possível aprender duas línguas simultaneamente com facilidade.

Dança - A idade ideal para matricular a criança em aulas de balé, por exemplo, é a partir dos 5 anos, quando começa a ter maior consciência corporal e noções de postura e equilíbrio. A atividade é benéfica por aperfeiçoar a coordenação motora, aumentar a flexibilidade e prevenir a obesidade, ajudando ainda a desenvolver a sociabilidade.

Instrumentos musicais - Aulas sistemáticas de instrumentos é recomendada a partir dos 6 anos, pois as áreas cerebrais pela precisão motora já estão desenvolvidas. Antes dessa idade, pode ter contato com instrumentos de brinquedos, mas de forma lúdica, sem cobranças quanto ao aprendizado.

"Pais acreditam que quanto antes o filho aprende a tocar um instrumento, mais talentosos podem ser, mas isso é um equívoco, pois o ritmo de aprendizagem da criança precisa ser respeitado", destaca a pedagoga especializada no ensino de músicas para crianças, Maria Lucia Cruz.

Esportes Competitivos - A partir dos 7 anos a criança já tem maturidade para entender as regras de cada esporte e lidar com a frustração da derrota. Até os 10 anos, porém, é desaconselhável restringir os treinos a uma única modalidade esportiva, já que a variedade estimula o desenvolvimento dos grupos musculares e habilidades motoras.


Para os especialistas, o treinamento especializado com o objetivo de melhorar a performance do atleta, pode provocar fadiga mental, prejudicando o rendimento escolar. Os médicos condenam a dedicação a um único esporte, com treinos exaustivos e estresse das competições, que deve ser reservada para a adolescência.

Por Carmem Sanches

Comente