Alimentação saudável durante as férias

Alimentação saudável durante as férias

Criançada de férias e fora da rotina. Tudo ótimo, até que surge a dúvida na cabeça dos pais: como manter a alimentação dos filhos balanceada neste período?

O pediatra e nutrólogo Mauro Fisberg acredita que não há mal nenhum em liberar os pequenos para tomarem um sorvete ou comer um sanduíche se isso for feito dentro de limites. "Como em vários momentos, como o de ver TV, jogar vídeo game ou no que diz respeito à alimentação, as crianças precisam de limites. Não dá para substituir uma refeição por uma porção de picolés, mas tomar um sorvete ou comer um pedaço de bolo recheado pode ser até muito bom para a criança".

Para as crianças com dificuldades de alimentação, os chamados picky eaters, ou comedores seletivos, as férias podem tornar-se uma boa oportunidade dos pais estimularem seu interesse pela comida. É que as férias permitem que os pais fiquem mais tempo com os filhos e possam se dedicar a elaborar receitas junto com os pequenos. "Envolver a criança na preparação dos alimentos e aos poucos explicar a importância de cada um deles é uma ótima alternativa para estimulá-la a adquirir novos hábitos", explica.

Uma dica de cardápio com cara de férias e ainda por cima saudável de acordo com o médico são sanduíches naturais e suco, que além de fáceis de preparar podem garantir uma refeição completa em momentos em que não é possível fazer uma refeição comum. "O pão é o carboidrato que fornece energia, um recheio de patê de frango, por exemplo, contém proteína, legumes e folhas oferecem vitaminas e os sucos de fruta, além de vitaminas são hidratantes", ensina.

Variar o cardápio, não só no tipo de alimento, mas também no modo de preparação também é uma das orientações do nutrólogo. "Apresentar pratos coloridos, fazer carinhas com a comida, oferecer o alimento rejeitado pelo menos dez vezes, em refeições diferentes e com apresentações diferentes são excelentes iniciativas."

Porém o médico ressalta que é necessário que os pais tomem cuidado para não passar dos limites com as brincadeiras. Por exemplo, o famoso aviãozinho não deve ser feito, pois, de acordo com o pediatra, é uma maneira de distrair, enganar a criança e fazê-la comer sem perceber. Forçar, castigar ou premiar também só ajudam a aumentar o mau comportamento à mesa.


Vale lembrar que para os pequenos terem uma alimentação saudável em qualquer época do ano, os familiares precisam dar o exemplo. Todas as estratégias perdem a eficácia se as refeições não são feitas à mesa e se os pais e os irmãos mais velhos só comem lanches, sem incluir em sua alimentação frutas, verduras e legumes. "A família é o principal modelo para a criança, que dificilmente vai gostar desses alimentos se não são consumidos dentro de casa".

Comente