Álbuns de figurinhas - diversão e aprendizado

Álbuns de figurinhas  diversão e aprendizado

Para a criançada, a Copa do Mundo representa mais do que assistir aos jogos pela TV ou via internet. Além de estimular o patriotismo, um evento esportivo como esse também se torna educativo, por isso explorado em disciplinas escolares. A febre dos álbuns de figurinhas que se espalha por todo país é um assunto à parte. Praças, bancas e pátios de escolas se transformaram em pontos de encontro, onde se misturam crianças e adultos que durante as trocas ganham não só simples figurinhas, mas também novos amigos.

A prática é uma forma de logo cedo elas terem noções de economia. "Entendendo o valor dos produtos e serviços ela começa a ser inserida no mercado econômico. Algumas figurinhas são mais valiosas por sua raridade. Apesar de vir no mesmo pacotinho, elas são mais difíceis de achar e por isso valem mais", aponta o Erasmo Vieira, consultor de finanças pessoais.

De forma divertida, elas também aprendem geografia, pois conhecem localização, número de habitantes e idioma dos países, além das cores da bandeira, e um pouco da história de cada seleção participante. Mais do que isso, as crianças começam a se organizar sozinhas, pois aprendem a separar as figurinhas repetidas. E na hora da colagem também ficam atentas às cores, camisas e símbolos dos países, pois muitos deles são semelhantes.

Durante a negociação com os coleguinhas, Erasmo aconselha que os pais não tomem conta do "negócio", apenas falem que existem boas e más negociações, afinal, desde cedo os filhos já lidam com espertinhos e inocentes.

"Eles devem ensinar porque uma figurinha vale mais e pode ser trocada por mais de uma. Também devem lembrar que é necessário paciência, pois para completar um time e, por fim, o álbum completo é preciso tempo. Outro ponto fundamental é mostrar que as figurinhas valem dinheiro e por isso não devem ser desprezadas", indica o consultor financeiro.

Erasmo lembra que para se completar um álbum é necessário gastar no mínimo 96 reais (ao todo são 640 figurinhas ou 128 pacotinhos, cada um deles custa 0,75 reais). "É apenas um valor significativo, pois certamente as crianças gastam mais do que isso", diz. Guilherme dos Santos, de oito anos, completou 560 figurinhas e tem 100 na mão para troca. "Ainda restam 80 figurinhas, e vão sobrar 20, acho que com essas restantes ele ainda consegue trocar para completar o álbum. Até agora comprei 660 delas e gastei 100 reais", diz o padrinho Carlos Luiz dos Santos Ferreira. Uma forma de mostrar o valor do dinheiro é usar a quantia para fazer a criança entender que é relativamente alta, que com ela se pode comprar um tênis ou brinquedo.

A compra das figurinhas também é uma boa oportunidade para se falar de semanadas ou mesadas, primeiros passos para a criança administrar o próprio dinheiro. "Quando o dinheiro acabar, ele não deve ser entregue novamente antes do prazo estipulado, pois a criança pode ficar sem limites de gastos e aprender a usar o "cheque especial" chamado papai ou mamãe", aponta Erasmo.


E nada de incentivar a criançada a pagar pelas figurinhas restantes quando se está próxima de completar o álbum - elas são vendidas separadamente e custam mais do que aquelas do pacotinho. É preciso procurar, esperar e buscar quem tem aquelas que faltam. "Talvez seja interessante mostrar que o preço de uma única figurinha vale mais de que muitos pacotes com cinco unidades. Aguardar, esperar, pode ser um preço a pagar na falta do dinheiro para completar o álbum", finaliza o consultor.

Por Juliana Lopes

Comente