8 dicas para assumir o papel de madrasta

8 dicas para assumir o papel de madrasta

Foto: Robert Michael/Corbis

Um dos relacionamentos mais complexos é aquela que existe entre madrasta e enteado. Com certeza você já ouviu vários casos sobre o tema. Muitas madrastas dizem até o seguinte ditado: "Até que o filho nos separe". Isso é normal acontecer, pois os filhos nunca querem ver o seu pai com outra mulher que não seja sua mãe. É aí onde entra o desespero de toda madrasta: de não saber lidar com essa situação e ter um mau relacionamento com a pessoa que seu marido mais ama.

Porém, se tudo for se desenrolando com calma a situação pode ser menos penosa. Por mais que os filhos já tenham o pensamento que toda madrasta é má você pode mostrar o contrário para ele. Regina Drummond, autora do livro "A mulher do meu pai", conta que também teve um relacionamento conturbado com sua enteada e a partir daí ela teve a ideia de escrever o livro.

"Eu tinha acabado de me mudar para Munique para viver uma grande paixão com um homem também divorciado e pai de dois filhos: uma garota de 13 anos e um garoto de 10. O filho e eu nos entendemos logo, mas a filha estava me deixando maluca - e eu decidi escrever um livro para exorcizar os fantasmas", conta.

"Escolhi dar voz a ela: um diário no qual falaria mal de mim o tempo todo, mas que era para ser entendido pelo outro lado. Bem, não sou santa, mas era a dona do livro! Assim nasceu ‘A mulher do meu pai’".

Segundo Regina, para ter um bom relacionamento com o seu enteado a primeira coisa que tem que ter é o respeito. E dá oito dicas de como agir. Se você é madrasta, fique atenta:

1 - Respeite as diferenças

A madrasta precisa entender que os filhos do marido não são seus filhos. Portanto, ela não tem de educá-los, mas apenas administrar a relação. Eles já vieram prontos para ela - isso quer dizer que têm outras vivências, experiências, costumes etc.

2 - Filhas têm ciúmes do pai

Filhas costumam sentir muito ciúme do pai e os garotos da mãe. Filhos menores são mais fáceis de serem conquistados, porque são mais doces, mais ingênuos, se deixam levar um pouco - quer dizer, uns presentinhos aqui e uma atençãozinha ali fazem um bom serviço. Os mais difíceis são os adolescentes, principalmente se foram colocados do lado da mãe, como se fossem cúmplices, e contra o pai, como se ele fosse um monstro.

3 - Saiba se colocar no lugar do enteado

Madrasta tem que entender que os filhos precisam do pai e respeitar o fato de que é normal eles desejarem receber uma certa atenção dele. Não que ela deva aceitar que "passem por cima dela", que a deixem "de lado", mas entender que eles têm lá seus joguinhos, dos quais ela não necessariamente participa ou mesmo conhece. Isso facilita bastante o relacionamento.

4 - Não há culpados

Outra armadilha é pensar nas pessoas de um jeito maniqueísta, quer dizer, como se fossem boas ou más. Numa separação não existem culpados. Trata-se apenas de uma relação que deixou de dar certo.

5 - Bata um papo com frequência

O segredo é conversar, conversar e conversar, sempre com muita honestidade. E, por conversar, a autora não se refere a falar, mas principalmente a escutar. Perceba como eles se sentem e ouça seus medos e ansiedades, que são muitos.

6 - Saiba entender os gastos que o pai tem com os filhos

Uma boa madrasta também deve levar em conta a questão financeira: nada de fazer economia para os filhos dele só para sobrar mais para você! Isso pode sair muito mais caro no futuro. Claro que cada caso é um caso, mas generosidade nunca matou ninguém - e vai continuar não matando. Deixe que o cara gaste o que quiser com os filhos dele! Afinal, principalmente quando o dinheiro é dele, não se pode perder de vista que cada um deve ter o direito de usar os seus recursos como quiser. Isso vai evitar muito atrito.

7 - Cuide dos filhos dele como se fossem seus

Olhar os filhos dele como se fossem os seus sempre ajuda, pois mostra uma situação sob um ângulo novo: se uma mulher consegue realmente desejar para os enteados aquilo que deseja para os próprios filhos, ela será sempre mais humana e generosa.

8 - Controle seu temperamento

Gentileza é algo sempre bem-vindo e não pode faltar. Nada de agressões gratuitas, menos ainda de jogar a própria raiva em cima deles. Controlem-se, madrastas! Pensar que poderia ser pior - e, se possível, listar o que poderia ser pior do que já é - também ajuda. Mas o melhor mesmo é sempre procurar se lembrar de que o final de semana vai acabar e logo as coisas voltarão a ser como eram antes.


Anotou todas as dicas? Então comece a colocar todas em prática e veja como o relacionamento com o seu enteado irá mudar. E lembre-se: tudo é uma fase. Logo eles irão crescer e tudo isso irá passar.

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente