Síndrome do pânico em crianças - Saiba identificar

Confira as orientações da psicóloga para lidar com a doença que atinge duas a cada dez crianças
síndrome do pânico crianças

Istock/© szefei

Fique atenta ao comportamento dos seus filhos! Se você tem notado medo intenso, falta de ar, desconforto e muito choro, cuidado! Isso pode significar que a criança esteja desenvolvendo um quadro de síndrome do pânico.


Estudos apontam que mais de 3 milhões de brasileiros sofrerão de transtorno do pânico durante sua vida. Geralmente a doença começa a se manifestar na infância, onde duas em cada dez crianças podem desenvolver síndrome.

De acordo com a psicóloga do Centro Terapêutico Multidisciplinar de São Vicente, Tereza Christina Gonçalves, o problema pode se desencadear por conta de diversos fatores como perda de alguém importante, hospitalizações, doenças graves, maus tratos, abuso sexual, assaltos entre outros traumas ou situações de angustia.

A terapeuta afirmou que o inicio do transtorno é sutil de ser percebido e diagnosticado. "Geralmente a família acha que se trata de "frescura" da pessoa e que ela pode melhorar indo ao shopping, se divertindo ou saindo com os amigos. Isto é um erro e só piora o quadro clinico do paciente", alerta.

Os ataques de pânico geralmente aparecem sem aviso e podem durar minutos ou horas. Caso não tratada, a síndrome pode ir evoluindo com os sintomas, ao ponto da criança não querer mais sair de casa, impedindo que a mesma tenha uma vida normal.

Como detectar a síndrome do pânico em crianças?

A terapeuta explica que deve-se observar qualquer sintoma de desequilíbrio emocional como angústia, agitação no sono, falta de apetite e em geral alguma mudança no comportamento.

Veja a seguir mais sintomas:

  • Dor no peito
  • Desconforto
  • Angústia
  • Medo intenso (um sentimento de que algo terrível está acontecendo)
  • Dificuldade para engolir
  • Dormência no corpo
  • Sensação de perigo
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Tonturas ou vertigens
  • Falta de ar ou um sentimento de sufocamento
  • Tremores ou agitação
  • Sensação de irrealidade

Tratamento da síndrome do pânico

É recomendado consultar um profissional da área de psicologia para identificar e levantar hipóteses para um diagnóstico. A partir daí, ele vai trabalhar com a criança neste foco.

O tratamento é realizado também com o medico psiquiatra e as terapias devem ser associadas. A família deve entender que se trata de uma doença, que exige medicação e psicoterapia.

Por Thamirys Teixeira

Comente