Virtudes de mãe nas empresas

Tenho lido recentemente, em muitas matérias, a respeito da valorização do feminino dentro das empresas. Aliás, um livro que recomendo (além do meu, claro!) é o recém lançado pelas americanas Claire Shipman e Katty Kay.

Elas sustentam a idéia de que o poder feminino dá às mulheres o direito e a habilidade de requerer flexibilidade em seus empregos e negociar assertiva e efetivamente suas necessidades. No meu livro, "Vida de Equilibrista: dores e delícias da mãe que trabalha", listo alguns pontos que para mim são trunfos das mulheres, em especial das mães, dentro das empresas.

  • Tolerância: mãe tem paciência e tolerância para aceitar que as situações não são exatamente como se espera e sabe que não dá para ter tudo sob controle;
  • Organização: depois da chegada dos filhos, aumentam tarefas e responsabilidades para administrar. É preciso priorizar as tarefas e organizar-se;
  • Concentração e foco: como o tempo é precioso, a ordem é concentrar-se e focar nas prioridades, ou seja, fazer o dia render;
  • Flexibilidade: além da capacidade de lidar com imprevistos, a mãe costuma ter jogo de cintura para encontrar soluções. Adapta-se a novas exigências e novos cenários com facilidade.
  • Versatilidade: as múltiplas funções no dia a dia das mulheres (mãe, esposa, dona de casa, profissional) geram habilidades para trocar de assunto ou tarefa rapidamente e transitar com desenvoltura por várias áreas.
  • Negociação: convencer o filho pré-adolescente a tomar banho ou ensinar o filho pequeno a guardar o doce para depois do almoço exige habilidade de negociação, ponto valorizado nas empresas;
  • Capacidade de delegar - Já que não dá para resolver tudo sozinha, é inevitável delegar a alguém os cuidados com os pequenos em pelo menos parte do dia. Saber delegar se traduz em não se sobrecarregar e ainda valorizar os outros da equipe.
  • Observação - Capacidade de observar e compreender o que significa cada choro do bebê é um talento que se adquire. E a percepção aguçada pode ser trunfo na vida profissional.
  • Comunicação - Para educar bem os filhos, é válido lançar mão de um discurso personalizado e adequado ao ouvinte, sendo objetivo, mas sem ser rude. Dar feedbacks à equipe fica mais fácil depois de exercitar essa habilidade com as crianças.

  • Perspectiva - A maternidade faz a gente perceber o que realmente importa, dando aos problemas o tamanho que eles têm de fato. O resultado é menos estresse e mais chances de levar a vida profissional de maneira equilibrada e feliz.
  • Vale usar e abusar dos nosssos trunfos. Boa sorte!

    Cecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro "Vida de Equilibrista". Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar "pratinhos".Email - cecilia@troiano.com.br. Venda do seu livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

    Comente

    Assuntos relacionados: filhos mães mulheres trabalho mães trabalho