S.O.S choro do bebê

SOS choro do bebê

Enquanto o bebê não aprende a falar e a interagir, o mecanismo de comunicação é o choro. Algumas mães podem achar que existem mais mistérios nas lágrimas do bebê do que entre o céu e a Terra, mas calma! O choro do seu filho não precisa ser motivo para você cair em prantos também.

É importante ressaltar que o bebê chora porque tem necessidades que não consegue suprir sozinho e a choradeira varia de acordo com a situação. Os motivos que mais atormentam são dores em geral, cólica, agitação, fralda suja, assaduras, cansaço, fome e carência. Entretanto, podem ser conseqüência de outros fatores e é aconselhável levar a criança a um pediatra no caso de choro excessivo.

Simone Rocco, enfermeira obstetra, com 16 anos de experiência na área, explica que é importante manter a calma e prever possíveis motivos para as lágrimas. “Para parar de chorar, o bebê precisa ser prontamente atendido e saber que pode, sempre, confiar nos seus pais ou nos seus cuidadores”.

Existem diferentes tipos de choro que evidenciam diferentes necessidades. Se for agudo e prolongado e os olhos do nenê estiverem cerrados, a testa enrugada e o abdômen distendido, é indício de cólica. Quando for irritado e seguido de movimentos corporais, é sinal de desconforto. Esse choro é parecido com o choro de manha e birra, também irritado e escandaloso. Faz parte da natureza do recém-nascido ter sensibilidade e querer proteção. Esse tipo de choro acaba quando se pega o bebê no colo.

Em vista da pouca idade, é comum o bebê ter medo de determinadas coisas e se assustar com o que não conhece. Com medo, a criança fica com os olhos arregalados e o choro vem acompanhado de pequenos saltos. E choro de dor, finalmente, é aquele alto e quase incontrolável.

Não é fácil identificar as razões pelas quais os pequenos choram e os pais de primeira viagem não devem se culpar por não conseguir distinguir logo no início. Mas é importante ter paciência.

Simone lembra que choros por motivos físicos, são normais, mas se constantes, é importante avisar ao pediatra. “Se não for de ordem física, é importante investigar o real motivo e buscar a solução”.

Uma boa maneira de acalmar é pegar o bebê no colo e sussurrar palavras de aconchego no ouvido dele. Lembre-se de manter o ambiente tranqüilo e silencioso de preferência. Faça com que seu filho crie confiança e acredite que você é o porto seguro. O choro do recém-nascido não é fácil de lidar e nem agradável de ouvir, mas a fase é passageira e logo ele estará falando e interagindo. E talvez você até sinta falta da trilha, cheia de choro.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente