Soluços em bebês - dicas simples para aliviar as contrações

Soluços em bebês

É comum as mães ficarem um pouco atordoadas ao ver soluço em bebês. Dão água, colocam fitinhas vermelhas na testa ou agasalham os filhos, sempre com a boa intenção de solucionar o problema. Mas acredite: o soluço nos pequenos não causa dor e é mais comum do que se imagina.

Conforme explica o Dr. Marcelo Reibscheid, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz (SP) e criador do portal Pediatria em Foco, 80% das crianças têm soluço. "Nos recém-nascidos, pode ocorrer todo dia e mais de uma vez por dia. O soluço é um movimento natural e indolor do diafragma, músculo que separa o tórax do abdômen, e corresponde a uma espécie de treino para o aparelho respiratório".

Este espasmo repetitivo (contração súbita e involuntária) do diafragma, que dá origem ao soluço, pode ocorrer por diferentes motivos. A pediatra Clery Bernardes, do Hospital e Maternidade Santa Joana, conta que ele ocorre quando o bebê chora muito, chupa chupeta o dia todo ou fica com a boca aberta durante muito tempo, por conta da ampla entrada de ar. Dr. Marcelo completa: "A ingestão excessiva ou muito rápida dos alimentos ou a posição errada da mamadeira também podem provocar soluços."

Até mesmo na barriga da mãe o bebê soluça. Dr. Marcelo conta que entre o fim do primeiro trimestre e o começo do segundo, a criança geralmente começa a soluçar. "Algumas mulheres percebem os soluços da criança várias vezes ao dia, enquanto outras só de vez em quando". O pediatra lembra que os soluços são inofensivos e, do mesmo jeito que aparecem, desaparecem por volta dos seis meses de vida.

Ao ver o bebê soluçar, o primeiro passo é verificar a técnica de amamentação ou do uso da mamadeira. O pediatra do hospital São Luiz ressalta que uma "pega" correta diminui a chance de a criancinha ter soluço.

Se ao amamentar o bebê a mamãe escutar um ruído estranho quando a sucção iniciar, pode ser que o seu filho esteja engolindo ar. "Neste caso, retire a criança do peito e, ao recolocar, faça com que ele abocanhe a maior parte da aréola", orienta Dr. Marcelo. Caso o bebê esteja mamando direitinho e sem pausas, retire-o do peito e comece novamente. "Faça as pausas por ele, pois a ingestão muito rápida do leite também pode causar soluços", diz o especialista.

Quando o bebê faz uso de mamadeira e soluça muito, o pediatra sugere colocá-lo para arrotar com mais frequência, fazendo alguns intervalos durante as mamadas. "No caso de crianças maiores, a dica é promover as refeições em ambiente tranquilo, para que elas não tenham pressa em comer. "Ingerir líquidos durante as refeições pode distender o abdômen e causar o soluço", alerta o pediatra.

Dra. Clery dá ainda outras dicas para reduzir a incidência dos soluços. "O ideal é que a criança não mame totalmente deitada, não chupe chupeta demasiadamente e faça uso de mamadeiras que possuam bicos e orifícios adequados, evitando que o ar entre na hora de sugar o leite". Se a criança tiver crises fortes e prolongadas de soluço, que cheguem a provocar choro ou até perda de peso, procure um pediatra.


A iniciativa de dar pequenos sustos é aprovada pelo Dr. Marcelo, desde que os bebês não fiquem com medo. "Durante o susto, o organismo libera uma substância chamada adrenalina que inibe a contração do diafragma, acabando com o soluço". E faz um alerta: "Ficar algum tempo sem respirar, tomar água com o nariz tampado ou respirar num saco de papel também são recursos para acabar com o soluço de gente grande, mas não de crianças. Para os pequenos isto pode ser perigoso!"

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente