Roupas para bebês prematuros

Roupas para prematuros

Foto: Larry Mulvehill/Corbis

Todos os anos cerca de 15 milhões de bebês nascem prematuros no mundo, ou seja, mais de um a cada dez nascem antes do tempo gestacional apropriado. Estes dados foram identificados por meio do estudo "Born Too Sun" (nascidos muito cedo, em tradução livre) realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na pesquisa, o Brasil aparece em décimo lugar, com 279 mil partos por ano. Sendo assim, para cada 100 bebês, 9,2% nascem antes de 37 semanas de gestação. A taxa brasileira é igual à da Alemanha e inferior à dos Estados Unidos, que chega a 12% anualmente.

De acordo com um relatório apresentado pelo Ministério da Saúde (MS) a região Norte do Brasil concentra o maior número de partos prematuros, atingindo o número de 169 mil nascimentos em 2010. Um dos motivos apontados pelo estudo seria a falta de um pré-natal de qualidade para as mulheres da região.

Consequentemente, devido à dificuldade dessas mães de encontrar roupas que se adéquem ao corpinho tão pequeno do recém-nascido muitas lojas vêm se especializando e aderindo à venda de produtos para prematuros. Alguns exemplos são a "Cegonha Feliz" (www.cegonhafeliz.com.br), "Lione", "Bb Moderno" (www.bbmoderno.com.br), Bb Femier, Atelier Le Bébé e a "Be little".

Luciana Bechara, diretora da "Be little" explica que as lojas passaram a vender e dar mais atenção a produtos para prematuros devido à maior procura. "A preocupação com o peso e o desenvolvimento do bebê faz com que as mães procurem dar o maior conforto possível ao bebê", relata ela.

Segundo ela, ainda há uma dificuldade para encontrar produtos e roupas para prematuros. "A mãe preparou um enxoval para ter o bebê no tempo que foi previsto. Quando o nascimento ocorre antes do tempo, a família não está preparada, raramente algum parente está. Como muitas lojas não sabem dessas imprevisibilidades, não investem neste tipo de produto", descreve.

A diretora descreve que o ideal é que as peças sejam de tecido de algodão, pois estas não causam nenhum tipo de alergia e permitem que a pele sensível do bebê respire. Aliás, Luciana informa que não tem a possibilidade de adaptar as peças. "O bebê prematuro perde muito calor do corpo. Por este motivo, as roupas precisam ser do tamanho dele, não podem ser largas. Cortar as mangas ou pernas apenas adéqua o comprimento, mas não se encaixa às necessidades."

Ela ainda recomenda que as roupinhas precisam ter botões na frente, com abertura total até o pé, pois facilita no vestir e nas trocas de fraldas. Botões nas costas podem machucar. "A roupa precisa ser extremamente confortável e sem muitos bordados ou golas. O ideal, se não achar roupas próprias para prematuros, é procurar o menor tamanho e que fique ajustado ao corpo do bebe", exemplifica.


Para Luciana Bechara a facilidade de comprar as roupas pela internet é que a própria mãe pode escolher o modelos. "Se a entrega for nas capitais ou cidades que tenham E-Sedex chega em no máximo dois dias. O frete é grátis nas compras acima de R$ 150,00", garantiu.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente