Problemas bucais na infância

Problemas bucais na infância

Antes de listar as principais doenças bucais que atingem os pequenos logo na infância, a odontopediatra Lúcia Coutinho lembra que, diferente do que muitos pensam, o creme dental utilizado pelos pequenos deve ser com flúor. Isso porque, de acordo com um estudo realizado pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Unicamp (SP), em 2010, pastas sem flúor ou com baixa concentração deste ingrediente não protegem contra as cáries nem evitam o aparecimento de fluorose - alteração que ocorre devido ao excesso de ingestão de flúor durante a formação dos dentes.

"Na hora da compra, verifique se o creme dental tem flúor a uma concentração de 1100 ppm (esta informação é encontrada na embalagem do produto). E a quantidade usada na escova de dentes deve ser equivalente a um grão de arroz apenas", orienta Dra. Lúcia, que acrescenta: "A prescrição do creme dental com ou sem flúor deve ser feita pelo odontopediatra após avaliação clínica, dependendo da necessidade e da idade de cada criança".

Veja quais males podem ser prevenidos se você tiver atenção redobrada com os dentinhos logo cedo:

Biofilme dental: é o nome atual da "placa bacteriana", responsável pelo aparecimento de cárie e problemas gengivais. É uma película incolor, formada principalmente por bactérias, que adere aos dentes e superfícies bucais, como língua e bochechas. O Biofilme dental pode aparecer após o nascimento dos dentes da criança. "O controle mais eficaz deste problema é feito através da higienização adequada, com a escovação e uso do fio dental. À medida que a placa permanece nos dentes, vai se tornando mais "madura" e agressiva, e maiores são os riscos de causar cárie e doenças gengivais", explica Dra. Lúcia.

Cárie: manifesta-se inicialmente através do surgimento de manchas brancas opacas no colo do dente, ou seja, próximo à gengiva. Se a doença não for paralizada nesse estágio, ela progride, dando surgimento às cavidades. "No início não causa desconforto, mas em um estágio mais avançado, leva à perda da estrutura dentária, acompanhada de dor. E se não for tratada, pode atingir o nervo do dente, fazendo-se necessário o tratamento do canal", explica a Dra. Lúcia.

Gengivite ou inflamações gengivais: é quando a gengiva se torna mais avermelhada e inchada, podendo apresentar sangramento durante a escovação e uso do fio dental. "A gengivite pode ocorrer em decorrência da higiene bucal precária associada a uma dieta cariogênica (rica em carboidratos, principalmente açúcar)", acrescenta a especialista.

Problemas de oclusão ou no encaixe dos dentes: como exemplos a odontopediatra cita projeção dos incisivos superiores, mordida aberta (dentes de cima não se encostam aos de baixo), atresia de maxila e/ou mandíbula (quando ambas são muito estreitos) e sobremordida profunda (os dentes do arco superior cobrem muito os do arco inferior). "As oclusopatias podem alterar a fala, a mastigação e a deglutição, além de muitas vezes causar alterações estéticas", alerta.


Problemas decorrentes de traumas dentários: a Dra. Lúcia cita como exemplos as fraturas dentárias; dentes que ficam escurecidos; luxação dentária (dentes que "mudaram de lugar"); mobilidade dentária; intrusão (quando o dente "entra na gengiva"); extrusão (quando o dente fica aparentemente "maior"); ou avulsão dental (dente cai inteiro, coroa e raiz).

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente