Perigos do andador

Andador  Chicco

Divulgação Chicco

Os bebês dependem de outras pessoas para tudo: alimentação, banho e locomoção - até certa idade. Essa dependência dos pequeninos faz os pais estarem sempre preocupados em ajudá-los e evitar que eles se machuquem. Por isso, muitos itens que oferecem aparente segurança se tornaram bem populares entre as famílias: berços com grade, cinto para carrinhos e o famoso andador.

O que muitos pais não sabem é que o andador oferece vários riscos à saúde e ao desenvolvimento dos bebês. "Os andadores podem fazer mal, pois a criança acaba utilizando musculatura e articulações que ainda não são adequadas para aquele momento", afirma Andrea Angel, médica do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

De acordo com ela, o uso do andador, ao contrário do que muitos acreditam, não favorece os músculos. "Realmente os andadores não fortalecem a musculatura de pernas ou coluna, pois a criança as utiliza de forma inadequada, além pular etapas do desenvolvimento, como o engatinhar, onde seria o momento de a criança fortalecer a articulação coxo-femoral (quadril)".

O nome "andador" também é algo questionável, pois o objeto não ajuda os pequenos a andar. Pelo contrário, impede que as crianças se exercitem para ganhar equilíbrio, pois não permite a exploração completa dos movimentos. Além disso, quando os pezinhos não alcançam completamente o chão, o bebê pode adquirir o hábito de andar na ponta dos pés, causando até alteração óssea.

Há outros fatores que comprovam que o andador não é um item seguro. Em países como o Canadá, seu uso foi até proibido. "Inúmeros acidentes podem ocorrer pelo uso de andador, principalmente quedas com trauma na cabeça", aponta Andrea.

Segundo o site oficial da Sociedade de Pediatria de São Paulo (www.spsp.org.br), os acidentes mais comuns são:

- fraturas e traumatismos cranianos, ao rolar uma escada para baixo;

- queimaduras e ferimentos cortantes, por o pequeno conseguir alcançar alturas mais elevadas, pegar um copo, um talher em cima da mesa ou panelas no fogão;

- afogamento, ao cair numa piscina, banheira ou balde;

- envenenamentos, devido ao acesso aumentado a produtos químicos e de uso domiciliar.


Se você ficou desapontada porque usava o andador para estimular as funções motoras de seu bebê, não se preocupe. A médica deu a dica para fazer isso da melhor forma e sem prejudicar o pequeno. "O correto é deixar a criança livre em um espaço plano, como um tapete de borracha, deixando-a ora de bruços para fortalecer o pescoço, ora de barriga para cima e estimulando o ato de rolar. Naturalmente a criança vai aprendendo os movimentos e tem respeitado seu desenvolvimento individual".

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente