Pele de bebê: conheça as doenças mais comuns

pele de bebê

Crédito: © Eric Audras/Onoky/Corbis

A pele dos bebês é tão fininha e delicada que qualquer exposição ao sol ou produto pode irritá-la facilmente e causar algumas doenças de pele que são bastante comuns nessa fase.

Isso porque nos recém-nascidos, o órgão tem menos fibras elásticas e colágenas, o que facilita a penetração de substâncias tóxicas ou bactérias, diminuindo seu papel de proteção.

Na vontade de deixar o pequeno com aquele ‘cheirinho de bebê’, muitas mães usam produtos de higiene não recomendados. São sabonetes, hidratantes, xampus e talcos perfumados sem o PH neutro, que irritam os bebês e causam alergias, como as brotoejas, bastante comum e conhecidas desde o tempo de nossas vovós.

Xô, brotoejas

As brotoejas são pequenas bolhas avermelhadas que aparecem pelo corpo e surgem com a dificuldade do organismo em liberar o suor pelas glândulas sudoríparas. Por isso, os produtos de PH neutro são indicados. Refrescar a pele da criança e manter o ambiente bem arejado é certeza de proteção para a pele do bebê.

Icterícia fisiológica ou amarelão

Outro problema de pele também bastante comum em pelo menos 50% dos recém-nascidos é a icterícia fisiológica ou amarelão, como se conhece. A pele do bebê vai ficando amarelada logo nos primeiros dias de vida e a cor se espalhando para o corpo, pelo tórax, abdômen, pernas e olhos, que terão o branco mais amarelado. A notícia boa é que o problema some logo na primeira ou segunda semana de vida.

Fraldas X Assaduras

E as assaduras então?! Que criança, e mamães também, já não sofreram com elas? A medicina identifica-a por dermatite de fralda e explica o fator com irritação da pele à amônia da urina, associada a bactérias e fungos presentes na região.

O tratamento é simples, garantem especialistas e costuma desaparecer quando a criança para de usar fraldas. Mas, enquanto a fase não chega, a dica é manter a criança mais seca possível e trocando sempre as fraldas, mesmo quando estiver com pouca umidade. Os médicos liberam as pomadas contra assadura, e recomendam evitar alimentos ácidos quando o bebê já está na fase de ser apresentado aos alimentos.

Dermatite seborreica

A dermatite seborreica, apesar do nome complicado, é um tipo de caspa que surge na cabeça do bebê sem agressividade. Pode evoluir e se espalhar para outras regiões do corpo e desaparecer ao longo dos meses. Os lugares mais comuns, além do couro cabeludo, são a testa e a dobra da pele atrás da orelha. Bastam simples limpezas diárias nessas áreas para o incômodo desaparecer.

Já a hiperplasia sebácea, apesar de a pronúncia ser pra lá de difícil, não é grave. Você que tem filho recém-nascido poderá notá-la quando aparecerem umas bolinhas bem pequenas e esbranquiçadas na região do nariz. Elas somem com facilidade e em poucas semanas.


Por fim, as descamações da pele são algo completamente normal e até esperada logo após o nascimento do bebê. Lembre-se: ele passou 40 semanas em meio aquático, portanto, sua pele precisa ser trocada para atender às exigências do novo meio. Para tratar evite produtos com muita química, usando apenas um bom sabonete de glicerina durante o banho da criança e fazendo a higienização com água morna e algodão.

Por Natália Farah

Comente

Assuntos relacionados: pele assaduras pele bebê doença