Ministério da Saúde toma medidas para incentivar o parto normal

Veja quais são as novas medidas
parto-normal

Foto - Shutterstock

Na rede privada de saúde, a maior porcentagem de partos ocorre por meio de cesárea. Acredite; 84% dos partos em hospitais privados ocorrem por meio da cesárea, quando o aceitável é de 30%. O problema todo é que muitas dessas cesáreas são desnecessárias. Por isso, o Ministério da Saúde, em parceria com a Anvisa, tomou algumas medidas visando diminuir esses números. Veja só quais são:

Acesso à informação

As gestantes podem ter acesso aos números de cesáreas por hospital e por médico. Assim ela poderá escolher melhor onde quer que o filho nasça e se quer trocar de médico também. Os estabelecimentos têm 15 dias para fazer o levantamento, caso contrário, podem ser multados em até R$ 25 mil.

Cartão gestante

Nesse cartão há todas as informações do pré-natal da gestante, de maneira que qualquer pessoa que receba a gestante esteja apta a realizar o parto mais seguro para ela na hora da internação. 

Partograma

Além do cartão gestante, o partograma contém todas as informações sobre o parto, como dilatação, tempo das contrações, etc. Isso ajuda a levantar informações relevantes para o tipo de parto mais adequado para a futura mamãe,

Hospital Amigo da Criança

Trata-se de um programa que promove e incentiva partos mais humanizados dentro dos hospitais, oferecendo formas alternativas para aliviar as dores, como massagens, banheiras e exercícios com bola de pilates. O programa também evita práticas como a episiotomia, indução do parto e promove o contato da mãe com o bebê nas primeiras 24 horas, mesmo que o bebê precise ir à UTI.


Por Helena Dias

Comente