Meu bebê vai para a creche. E agora?

Meu bebê vai para a creche E agora

Depois de passar alguns meses grudadinha com o bebê, é hora de a vidavoltar ao normal. A mãe precisa retomar a rotina profissional e definir onde deixar seu filho durante o dia.

É então que começa a procura por uma creche. "Nesta hora as dúvidas mais frequentes dos pais são como escolher um lugar seguro para cuidar bem do bebê, favorecer o seu desenvolvimento e atender a todas as suas necessidades", comenta a psicóloga Andrea Rapopot, autora do livro "Adaptação de bebês à creche".

Nos primeiros dias que integram a fase de adaptação, o bebê pode chorar. Entre os motivos estão o fato de ele não querer ficar sozinho e de a própria mãe estar com medo da nova fase e passar insegurança para o filho. "A criança chora também por conta do desconhecido, pois ela tem de enfrentar várias situações novas: o ambiente, as pessoas que cuidam dela, a comida, as outras crianças, a forma de ser cuidada e o afastamento da mãe, que é seu porto seguro", esclarece Andrea.

A psicóloga afirma que o tempo de adaptação do bebê é muito variável. Não há truques para minimizar este processo, mas é importante ressaltar que o processo deve ser realizado de maneira adequada. "A criança precisa receber bastante carinho e atenção neste período para que se sinta acolhida e protegida e que forme vínculos com as pessoas que estão ligadas a ela na creche".

Sem contar que há crianças que choram não na hora de entrar na creche, mas quando a mãe vai buscá-las. "Esta é uma reação comum que indica que o bebê está sofrendo com o afastamento da mãe. Como ele se sente ‘abandonado’, de forma inconsciente ele tenta punir o adulto com esta reação de evitação, indiferença ou choro", diz Andrea. "Apesar de parecer forte para uma mãe sentir-se punida pelo filho, esta atitude é normal e tende a passar se a adaptação for bem feita e se a creche for de boa qualidade", garante.


A fase de adaptação envolve atitudes como presença do familiar na creche nos primeiros dias e horário reduzido neste período. Atitudes de confiança ao falar e ao levar a criança para o local também são essenciais. "Toda creche, sem exceção, deve realizar um processo de adaptação. Não se pode admitir que a criança ingresse neste espaço sem passar por ele. A ausência deste período ou uma a má administração do mesmo pode afetar de forma definitiva a relação da criança com o ambiente escolar, abalando também a confiança dos pais", alerta Andrea. E garante: "Não é só o bebê que está se adaptando. Os pais e educadores também passam por este processo".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: filhos creche