Massagem para bebês aproxima mães e filhos

Massagem para bebês aproxima mães e filhos

A massagem em bebês proporciona conhecimento sobre seu filho. A prática é muito antiga e difundiu-se no Oriente. A psicóloga Cynthia Boscovich atua na área de tratamento e orientação de grávidas, mães e bebês. Ela utiliza a massagem como instrumento facilitador na relação mãe e bebê. Conheça mais sobre a massagem em bebês.

Nos últimos anos a massagem em bebês vem sendo divulgada no Ocidente graças a seus efeitos terapêuticos. A psicóloga Cynthia Boscovich esclarece que são muitos os benefícios da massagem, como por exemplo, melhorar o sono, aliviar cólicas, reduzir estresse, aumentar o desenvolvimento psicomotor e do peso, entre outros.

Mas não é só o bebê quem usufrui dos benefícios. Quem aplica a massagem também poderá contar com eles, porém, alguns cuidados devem ser tomados segundo a psicóloga. "O mais importante, na massagem, é que ela possa partir das necessidades e preferências do bebê; caso contrário, talvez deixe de ser boa e torne-se invasiva para ele", alertou.

Através da massagem a mãe pode conseguir um grande envolvimento com o bebê e identificar aquilo de que ele realmente necessita. Segundo a psicóloga, a mãe pode estabelecer uma comunicação sensorial, não verbal, muito importante para o vínculo com o bebê. "Isso se dá pelo fato de todos os órgãos dos sentidos estarem incluídos nessa vivência. Assim, é possível que quem aplique a massagem consiga perceber claramente os sinais dados pelo bebê que indicam satisfação, incômodo, desconforto, entre outros que talvez apareçam", observou.

Para o bebê desfrutar dos benefícios que ela pode proporcionar é necessário uma adaptação. Os movimentos devem ser introduzidos gradativamente respeitando o ritmo e tempo do bebê, assim como todas as suas características individuais. "Isso é fundamental para que se encontre, partindo do próprio bebê, a melhor maneira de realizar a massagem. A mãe que conhece seu filho consegue atendê-lo com muito mais serenidade e, sem dúvida, esse sentimento proporciona segurança e tranquilidade a ele, elementos fundamentais para sua saúde emocional", destacou a psicóloga.


A psicóloga a firma que a massagem pode ser incorporada ao rol de cuidados que a mãe proporciona ao bebê, que necessita de rotina para se sentir seguro, mas não pode ser imposta. "Toda mãe é capaz de conhecer o filho massageando-o, e certamente não será só eles que sairá ganhando com isso. Elas poderão, com essa experiência, tornar-se mais seguras e confiantes no tocante à sua condição materna. E, como consequência disso, o vínculo entre ambos será fortalecido pelo contato físico e emocional proporcionado por essa prática", finalizou Cynthia Boscovich.

Catharina Apolinário

Comente