Mãe alimenta bebê de um ano com dieta fitness - Veja o resultado

A australiana não permite açúcar, carboidrato ou laticínios durante as refeições da filha, que com saúde de ferro, só ficou doente uma vez!
bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

Nós já vimos aqui no VilaMulher a historia de muita gente que já conseguiu conquistar uma melhor saúde graças à boa alimentação. Comendo menos agrotóxicos, menos produtos processados e mais orgânicos e alimentos cheios de vitaminas. A regra é: quanto mais saudável melhor!


É é assim, mega saudável que a mamãe Shan Cooper, decidiu que a filha deveria se alimentar segundo as regras da dieta paleolítica. Parece loucura alimentar uma criança com uma dieta fitness, não é? Mas ao contrário do que muita gente pode vir a pensar, esse estilo de vida só fez bem para a pequena Grace, que só ficou doente uma vez na vida!

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

A australiana não permite açúcar, carboidrato ou laticínios durante as refeições da filha. “Ela ama”, diz a mãe. A dieta paleolítica, conhecida como “das cavernas”, corta laticínios, glúten e qualquer tipo de comida industrializada/processada.

“Ela passa muito tempo com outras crianças que ficam doentes o tempo todo, mas não pega nada”, disse Shan em entrevista ao jornal “Daily Mail“. Ela conta que alimenta a menina geralmente com ovos fritos em óleo de coco, legumes assados?? e frutas.

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

bebê dieta peleolítica fitness

Foto: Reprodução/Instagram

Shan, que é bacharel em agronomia, escreveu um livro de receitas e tem um perfil no Instagram voltado para vida saudável, @myfoodreligion, diz que dá para Grace apenas leite materno e alimentos orgânicos, como carne e vegetais.

Curtiu a ideia? Apesar de parecer proibição, tudo que a mulher faz é uma educaçao alimentar. Ou seja, quando ela crescer, vai poder escolher o que quer ou não. “Não vou proibi-la de ir à festa de crianças. Ela vai comer o que tiver lá”, conta.

Por Thamirys Teixeira

Comente