Leite materno tem 250 componentes benéficos à saúde

Leite materno tem 250 componentes benéficos à saúd

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Orientar e apoiar a mãe, ensinando a forma correta para amamentar seu recém-nascido garante o sucesso de uma boa lactação dos bebês. Porém, para a pediatra Marisa da Matta Aprile, assistente técnica da Pediatria do Hospital Municipal Irmã Dulce, de Praia Grande, é preciso que as mulheres conheçam a fundo as propriedades do leite materno.

"É um fluído dinâmico, não estático. Tem muitas variações e mais de 250 constituintes conhecidos. Ficamos maravilhados com seu sistema imunológico", explica a médica, que ministrou o Curso Preparatpório para Iniciativa Amigo da Criança, em abril, na unidade.

Termos técnicos como lactogenese, prolactina e lipase, comuns na medicina e enfermagem, traduzem o que estudos científicos confirmam: um alimento perfeito para o bebê e exclusivo nos primeiros seis meses de vida, segundo a pediatra, que é consultora internacional em lactação.

Imunoglobulinas, lípase, vitaminas e lactobacilos estão entre os componentes, fatores de proteção com ação probiótica. Mas os benefícios do leite humano vão além da nutrição adequada e proteção imunológica. Também não se restringem à infância: o aleitamento materno previne infecções e alergias, evitando a mortalidade infantil, e ainda produz efeito a longo prazo, reduzindo as chances de doenças crônico-degenerativas na vida adulta, segundo a médica.

O esvaziamento do leite materno impede o ingurgitamento das mamas e facilita o processo. Atenção especial deve ser dada à posição do bebê junto ao corpo da mãe e à pega. A boca do bebê deve estar bem aberta, cobrindo parte da auréola, não só o mamilo, para evitar fissuras e lesões. Estresse, dor e consumo de álcool, drogas e nicotina prejudicam a prática, com o agravante de tais substâncias passarem pelo leite.

A antiga recomendação de se amamentar de três em três horas foi substituída pela de livre demanda, ou seja, quando o bebê desejar, a mãe pode dar de mama sem se preocupar. Para aumentar a produção, a melhor receita é amamentar, inclusive à noite, quando a liberação de prolactina (hormônio que estimula a produção de leite) é maior.

"A mulher precisa estar com os níveis hormonais adequados e fazer o esvaziamento completo das mamas", afirma a pediatra. "O organismo não é perdulário. Só produz o que precisa."

Com relação ao desmame precoce, a médica ressalta que os fatores são muitos: vivência anterior negativa, insegurança, desinformação, problemas de saúde, falta de apoio, gestação múltipla, desconhecimento dos riscos de bicos artificiais e início tardio de pré-natal.

Para combatê-los, é preciso que os profissionais sejam preparados para acolher, escutar, elogiar e informar. "A mãe não consegue fazer nada sozinha. Precisa de todos nós da saúde, enquanto equipe", ressalta.


Fases do leite

Logo após o nascimento e até o sétimo dia de vida, o leite se apresenta meio transparente, rico em proteínas e sais minerais, com grande quantidade de imunoglobulina (IgA, anticorpo) secretora e de lactoferrina. "É o leite ideal para prematuros", observa.

De 7 a 14 dias, é o de transição. Após 15 dias o leite se torna maduro, com um volume maior que o colostro, contendo lactose, gorduras, proteínas e mais denso.

Por Carmem Sanches

Comente

Assuntos relacionados: filhos bebês leite materno saúde mães amamentar