História de uma mãe batalhadora

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
História de uma mãe batalhadora

Foto: Dreamstime

Quando soube que teria trigêmeos, a primeira reação de Tiana foi "assustadora", como ela mesma diz. Tiana é de Belém e veio até São Paulo para fazer seu parto. "Vim para São Paulo, pois é a cidade com o melhor centro médico do Brasil. E como a minha gravidez era de risco e minha idade poderia atrapalhar, tive que procurar um local com uma boa estrutura e o Hospital e Maternidade Santa Joana foi perfeito".

Com 50 anos de idade, Tiana veio à capital paulista no dia 1º de outubro para começar sua preparação. Nessa época ela estava com 30 semanas de gestação e a programação era para que os bebês nascessem apenas com 36 semanas, porém tudo aconteceu antes do esperado, com 33 semanas.

No dia 25 de outubro, Tiana estava se tornando a mamãe dos trigêmeos: "Sophia nasceu primeiro com 2,7kg, Lucas com 2,9kg e Raphaela com 1,295Kg. O Lucas e a Sophia nasceram e já saíram do hospital, mas a Rapha teve que ficar na UTI para ganhar peso", conta Tiana.

Depois de quase um mês, a rotina de Tiana é ir pela manhã visitar a Rapha, aproveitar para amamentar e tirar cerca de três ou quatro mamadas para o resto do dia. Hoje em dia ela fica mais no hotel do que no hospital e agradece muito à sua equipe por isso: "Antes de entrar em trabalho de parto, eu já tinha contratado duas enfermeiras para me auxiliar no pós, hoje eu tenho uma para cada momento: uma pra noite, uma integral e uma para os fins de semana, fora a empregada normal que limpa e cozinha". Haja fôlego, não?

Entre uma ida e outra ao pediatra, a realidade de Tiana é bem tranquila e sossegada: "Como já tenho uma certa maturidade, estou bem estruturada e graças a Deus tenho condições de pagar por tudo isso". E acrescenta: "Eu tive uma ótima adaptação graças ao hospital também, claro que tive meus momentos de pânico, mas depois que eu percebi como estava sendo bem cuidada e os bebês também, passou".


Tiana tem um negócio próprio em Belém e apesar de não estar lá presente, diz estar sempre trabalhando pela internet ou pelo celular: "Não sei exatamente quando voltarei para Belém, depende do pediatra, mas com certeza passando Natal e ano novo eu já volto a colocar a mão na massa", revelou a mamãe.

E vamos torcer, né? Voltar com força total no trabalho, com três bercinhos e babadores a mais e ainda ter tempo para ser bonita vai ser uma tarefa, no mínimo, divertida!

Por Alessandra Vespa (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente