Foca na Balança: mães se juntam para perder peso e melhorar a saúde

Foca na Balança mães se juntam para perder peso e

Foto: Reprodução/ Mamatraca

Junto com a gestação vem aqueles quilinhos a mais. Algumas mães conseguem se livrar deles rapidinho. Outras ralam um bocado para voltar à forma e conseguem. E há outras ainda que ficam tão entretidas com o bebê que se esquecem que precisam cuidar da própria saúde.

Para tirar as mães do sedentarismo e provar que é plenamente possível administrar o tempo para cuidar dos filhos e também do próprio bem-estar, Lia Savaris, uma mãe de 31 anos, moradora de Santos, litoral sul de São Paulo e formada em Educação Física, criou um grupo chamado "Foca na Balança". Ela é mãe de dois meninos: Henrique, de cinco anos, e Miguel de nove meses.

Lia tem uma história parecida com a de muitas mães. Depois que casou parou com a atividade física. Quando engravidou pela primeira vez perdeu a forma de atleta. Só se deu conta mesmo de que estava se descuidando ao observar as fotos que tirou quando foi madrinha de casamento. Começou a correr, fez um programa de dietas e emagreceu 12 quilos. Só depois engravidou de novo, acreditando que não engordaria tanto desta vez.

Mas não foi bem assim. Os quilinhos a mais deram o ar da graça novamente - Lia deixou sete quilos na maternidade, mas engordou durante a amamentação - e decidiu que era hora de fazer alguma coisa de novo. Como não se sentia motivada a sair para treinar sozinha, criou um blog para família e os amigos acompanharem e incentivá-la. Só que a ideia ganhou proporções enormes e outras mães começaram não somente a ler o blog como também a se exercitar com a blogueira, em busca de qualidade de vida. Em quatro meses de projeto Lia perdeu quase 12 quilos sem academia.

"Normalmente a mulher quando se torna mãe, principalmente se for de primeira viagem, esquece do mundo. Acontece que muitas delas não observam o tempo passar e quando se dão conta esqueceram também de cuidar de si mesmas!", comenta Lia. "Raros são os casos em que, já saindo da maternidade, a mãe consegue raciocinar que o serzinho requer cuidados e que ela também precisa estar sã para essa relação obter sucesso!"

As mamães não precisam desembolsar nada para participar do grupo. As aulas acontecem de segunda a sexta, às 20h30, e aos finais de semana, às 9h30, e duram entre 1h e 1h30h. As mulheres praticam caminhadas e/ou corridas (para uma parte do grupo que está iniciando nessa prática) e em dias alternados, exercícios localizados também.

Além de Lia, que já foi atleta (nadadora profissional e professora de Educação Física) e passa sua experiência para as leitoras, o blog conta com a colaboração de nutricionista, educadora física, psicóloga, fisioterapeuta e técnica de alimentos e bebidas. "Elas mantêm textos quinzenais no blog, abordando os assuntos e dúvidas das meninas integrantes do grupo e também participam de eventos para conversas ao vivo", conta Lia.

Se a mãe não quer fazer parte do grupo porque não tem com quem deixar o bebê, não tem problema! Pode colocá-lo num sling e fazer exercícios específicos. "Temos mães sem os bebês, com os bebês no colo, com as crianças maiores, com patologias específicas (como problemas articulares) e mulheres com a saúde em dia. Todas as aulas são preparadas para que, seja qual for o seu nível de aptidão, físico ou de performance, você possa realizar as atividades propostas", garante a criadora do grupo.

Com todos esses cuidados, fica difícil para a mãe dizer que não tem tempo para cuidar de si. O horário das aulas pode parecer tarde para algumas mulheres, mas nessa hora as tarefas de casa já foram executadas ou o expediente de trabalho já terminou. Quem pode, conta com a ajuda do marido, pais ou sogros para olhar a criança por uma hora, enquanto acontecem as aulas.

"Uma vez o objetivo alcançado, não se pode voltar atrás. Atividade física é para toda a vida! Precisamos nos manter saudáveis para aguentar o tranco de criar filhos cheios de disposição, para mostrar a eles o quanto isso faz diferença em nossas vidas", declara a blogueira e professora. "As próprias crianças já perguntam se vai ter ‘Foca’ naquele dia, se o amiguinho vai, que eles querem ir também!"


E completa: "O que eu como, ou dou como sugestão de alimentação, tem na casa de qualquer mulher do Brasil. O tipo de atividade que praticamos pode ser feito por qualquer tipo de pessoa. Não tem desculpa! Se quiser de verdade, você consegue chegar lá!"

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente