Escolher o sexo do bebê

Escolher o sexo do bebê

Para encarar os desafios do mundo contemporâneo é preciso planejamento para tudo, principalmente quando se quer ter um filho. Além de escolher a época da chegada do bebezinho, muitas mães também ficam ansiosas para saber o sexo, assim podem organizar o quartinho, escolher o nome, comprar as roupinhas. A partir da 15ª semana, a ultrassonografia já dá indícios se as elas serão rosa ou azuis.

Os obstetras também usam o chamado teste de "sexagem fetal", a partir de um exame no sangue da mãe. Essa técnica identifica a existência ou não do cromossomo Y, responsável pela determinação do sexo masculino. "Depois que houve a fecundação, o sexo já foi determinado e o exame é realizado. Ele também mostrará a presença ou ausência de cromatina sexual (pares de cromosomos X que indicam uma menina)", explica a obstetra Denise Coimbra. Esse exame pode ser feito a partir da 8ª semana de gestação e a taxa de acerto chega a 99,9 % a partir da 11ª semana. Hoje em dia há também o "IntelliGender", um teste que permite saber o sexo através da urina, com chances de 90% de acerto.

Antes de tudo isso chegar - sem dúvida somos privilegiadas-, nossas mães e avós tinham na ponta da língua uma crendice para adivinhar o sexo do novo serzinho que estava por vir. Uma delas que permanece até hoje é observar o formato da barriga. Redondas indicam meninas e pontudas menino. "Isso é um mito, porque a forma da barriga não tem nenhuma relação com o sexo da criança, assim como o sexo do bebê não afeta em nada a forma do útero materno. O formato da barriga segue a conformação física da mãe e depende de fatores como a musculatura abdominal, além da posição em que o bebê se encontra", explica.

Ainda nessa linha, muitas mulheres também se baseavam pelas batidas do coração do bebê. Quando elas estavam lentas, abaixo de 140 batidas por minuto, se tratava de um menino. Caso a batida fosse acelerada, acima de 140, seria uma menina. O desejo por certos alimentos também indicaria o sexo. Mulheres que esperam meninos teriam mais vontade de comer carnes, já aquelas que têm uma menina na barriga desejariam comer doces e guloseimas.

E o que dizer do teste do xixi? Cor amarela forte indicaria menino, e o contrário, uma menina. "Esses mitos sempre surgem durante as conversas no consultório, mas o que eu posso dizer é que não existe uma prova científica para isso. O que acontece são coincidências", aponta Coimbra. Segundo a obstetra, batidas cardíacas e o desejo por certos alimentos depende muito do organismo de cada mulher, mais do que isso, das emoções que está sentindo.

Uma prática usada pelos pais para dar um empurrãzinho na escolha da natureza é escolher o dia do ato sexual, algo que não é comprovado cientificamente, mas recomendado por muitos profissionais.

Segundo a obstetra é possível tentar engravidar de menino ou de menina conforme o dia da fecundação. O espermatozóide masculino tende a andar mais depressa conseguindo alcançar o óvulo mais rápido, portanto, se a mulher quiser ter um menino, a relação sexual deverá ser no dia da ovulação. No caso de uma menina, a relação deve ser antes da ovulação, dessa forma o espermatozóide feminino, mais lento e resistente, vai sobreviver e chegará ao óvulo no dia mais fértil. Em algumas farmácias você já encontra um teste específico que sinaliza o período de ovulação feminino, com 99% de precisão sobre o período fértil

O mesmo conceito para determinar o sexo é usado quando se trata da inseminação artificial. "Em laboratório, no preparo para a inseminação, os cromossomos que carregam a partícula "y" seriam mais rápidos, porém os que carreiam o "x" são mais duradouros, então para se ter menino a mulher deveria ter relação no dia da ovulação e para meninas um ou dois dias antes. Sabendo que o determinismo do sexo é feito pelo homem, pois é ele quem carrega cromossomos com gene feminino (x) e também masculino (y)", destaca a obstetra.


Se caso isso não dê certo, lembre-se que acima de tudo você deve se preocupar com a saúde do bebezinho e seguir todas as recomendações durante o pré-natal. O amor e encanto será o mesmo, sendo um menino ou uma menina.

Por Juliana Lopes

Comente