Escolha a roupa ideal para cada fase do bebê

roupasbebês

Foto - Shutterstock

Como você escolhe as roupinhas do seu filho? Pensa no conforto, no estilo fashion ou na fofura? Saiba que é possível equilibrar tudo isso e proteger seu filho em diferentes idades.

Segundo especialistas, até os três meses de idade é preciso apostar em peças de corte largo, simples, sem golas apertadas, enfeites, zíperes, capuz, botões ou ganchos. No começo de vida, o bebê tem a pele muito fina, pouco resistente e vasos sanguíneos não totalmente desenvolvidos. Por isso é preciso procurar roupas que não incomodem os pequenos. Os melhores tecidos são de fibras naturais, como malhas 100% algodão, para a pele respirar.

Tecidos felpudos e que soltem muitos fiapos devem ser evitados para minimizar o aparecimento de alergias. É importante também pensar na estação do ano, para não comprar roupas quentes demais para o verão ou muito frescas no inverno. Ao contrário do que achamos, especialistas afirmam que bebês tem a sensação térmica bem parecida com a nossa.C

Dos 3 aos 6 meses a orientação se mantém a mesma. É preciso praticidade para tirar e colocar as roupinhas, que devem continuar práticas, folgadas e confortáveis, confeccionadas em tecidos de fibras naturais. Roupas de outros tecidos podem ser reservadas para ocasiões especiais, como vestidos de festa. É preciso também se atentar aos detalhes e acabamentos da vestimenta para minimizar o aparecimento de alergia e não causar desconforto no bebê. Peças de cores claras são as recomendadas para dias ao ar livre, pois as escuras absorvem a luz e são mais quentes. Pelo excesso de lavagem e crescimento rápido, o ideal é que o armário do bebê tenha pelo menos seis peças dos itens básicos, como body de manga curta e longa, calça, calcinhas ou tapa-fraldas, meias, macacões, casaquinhos, macaquinhos e vestidinhos.

Dos 6 meses ao 1 ano, fase em que o bebê começa a se movimentar, engatinhar, andar, é mais um momento para escolher roupas confortáveis. É preciso pensar em peças que não dificultem os movimentos e priorizar as calças, mesmo que de tecidos finos, para proteger os joelhos. Por não pararem quietos, os bebês sentem menos frio. Mas em regiões mais frias não se pode abrir mão dos agasalhos. E em momentos de exposição ao sol é sempre importante lembrar do filtro solar e do chapéu.

As roupas de algodão continuam com a prioridade, mas, nessa fase de muito movimento, tecidos mais resistentes também podem ser escolhidos. Atenção para os detalhes das roupas. Tome cuidado para não ter nada que o bebê possa arrancar ou que possa machucá-lo. Cores vivas chamam a atenção dos pequenos, mas priorize as cores claras para dias quentes. Calças do tipo legging, sarja, batinhas, blusinhas, vestidinhos, camisetas tipo polo, shorts e jardineiras são peças recomendadas. Conjuntos de duas peças e calças sem pé são perfeitos para um aproveitamento maior nessa fase em que os bebês crescem bastante.

Para acompanhar a fase das descobertas, de 1 a 3 anos, aposte em meias antiderrapantes. Priorize roupas com tecidos fáceis de lavar, passar, tirar e colocar na criança, e no caso de fantasias, cuidado com aquelas com muitos detalhes ou babados, que podem machucar seu filho. Roupas que resistam às quedas também são essenciais. Para montar o guarda-roupa, pense em conjuntinhos de duas peças, camisetas, jeans macios e sarja, casacos, polos, vestidos, short, saia, e demais roupas confortáveis. Por ser uma fase em que as crianças não perdem roupa com tanta facilidade, pode apostar em conjuntinhos que combinem entre si. Na hora de escolher o pijama, pense em uma peça sem botões ou apliques, para garantir o conforto na hora do sono.


Por Ana Gissoni

Comente

Assuntos relacionados: conforto criança roupa moda enxoval de bebê