Doadoras de leite materno

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Doadoras de leite materno

Desde fevereiro deste ano, a funcionária pública e mãe Isis dos Santos Silva, 29, é doadora de leite materno no Hospital e Marternidade Leonor Mendes de Barros (São Paulo). Até maio já foram mais de 29 litros doados, gesto que ela faz com muito orgulho e carinho.

“Recebi informações na maternidade sobre a importância de doar leite materno. Em casa percebi que tinha leite suficiente para meu filho e para a doação. Procurei o Leonor e passei a doar regularmente. Fico feliz em saber que posso ajudar um outro bebê”, afirmou.

A iniciativa de Isis e de muitas outras doadoras ainda não é suficiente para alimentar os bancos de leite por todo país. Em São Paulo, por exemplo, nessa época a situação ainda fica pior, pois no inverno e durante o período de férias, as doações caem, em média, 20%.

Conforme o Ministério da Saúde, a maioria das mães produz leite em excesso, especialmente do terceiro ao quinto dia após o parto. Toda mulher saudável que esteja amamentando pode doar leite, sem que isso traga algum tipo de prejuízo para o filho.

No Brasil existem 186 bancos de leite humano no Brasil, 50 no estado de São Paulo. A doação de leite humano, além de ajudar as crianças, beneficia também a própria doadora, que reduz o risco de câncer de mama e ovários, previne a osteoporose e volta ao peso mais rapidamente.

Os bancos atendem bebês prematuros ou doentes, internados em unidades de cuidados neonatais em todo o país, que não conseguem se alimentar diretamente no seio materno. "Muitos desses bebês ainda não desenvolveram o reflexo da sucção ou estão doentes e muito fracos para isso", explica a coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Sônia Salviano.

O leite materno doado é pasteurizado, submetido a controle de qualidade e distribuído aos bebês impossibilitados de receber o leite do seio da mãe. Por conter as propriedades nutricionais e imunológicas do leite materno, o desenvolvimento dos recém-nascidos ocorre mais rápido.

Mães interessadas na doação devem procurar as unidade de saúde mais próximas de sua casa e se informar onde existe um banco de leite. Alguns bancos têm sistema de coleta em casa. Elas devem fazer um pré-cadastro e passar por uma avaliação médica na própria residência. Estando apta para se tornar uma doadora, o banco de leite passa a retirar as doações na casa da doadora.

A mãe doadora recebe toda a orientação necessária para fazer a ordenha em casa e armazenar o leite de maneira correta. “A amamentação é importante e as mulheres podem doar o excedente de leite”, diz Maria José Guardia, coordenadora dos bancos de leite do estado.


São consideradas potenciais doadoras, as mulheres em período de amamentação, com boa saúde, que não use nenhum medicamento e que tenha os exames sorológicos do pré-natal em dia.

Impedimentos para a doação de leite

- Ser portadora de doença infecto-contagiosa (como hepatite e AIDS);

- Ser usuária de álcool ou outras drogas;

- Ser fumante;

Por Juliana Lopes

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente