Dietas radicais após o parto prejudicam amamentação

Dietas radicais após o parto prejudicam amamentaçã

Foto: Dreamstime

As dietas muito restritas logo após o parto podem afetar a produção de leite para o bebê. É normal que as mulheres queiram entrar em forma e eliminar os quilinhos a mais que ganham durante a gravidez, mas antes de investir numa dieta restritiva é preciso lembrar a necessidade de uma alimentação reforçada para suprir as necessidades do organismo enquanto seu bebê está mamando.

A nutricionista Flávia Ferazzo Figueirêdo lembra que o cuidado com o peso precisa começar antes ou nos primeiros meses da gestação com um plano alimentar equilibrado. "Seguindo corretamente uma dieta saudável, adquirindo a quantidade de peso necessária durante os nove meses, a mulher conseguirá voltar a seu peso anterior sem grandes dificuldades", afirmou. Ela ressalta que é possível retornar ao peso normal durante a amamentação, desde que uma alimentação saudável e a prática regular de atividade física de intensidade moderada façam parte da nova rotina.

Se o excesso de peso for muito significativo e a perda de peso nesta fase for realmente necessária, a lactante pode ser orientada a reduzir a sua alimentação de forma a perder cerca de 0,5 kg por semana, a partir do momento que a amamentação já estiver bem estabelecida. As dietas restritas podem afetar a produção de leite e impedir o estabelecimento do aleitamento materno. "Se houver necessidade de uma dieta, o mais importante é que ela seja feita com orientação de uma nutricionista e acompanhamento médico", ressaltou a nutricionista.

A nutricionista dá algumas dicas de alimentação e hábitos para quem está amamentando:

- Para produção adequada de leite é preciso consumir todos os grupos de nutrientes, ou seja, a dieta deve conter carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais e, claro, bastante água.

- Não consumir bebidas alcoólicas e alimentos que causam gases no bebê como: refrigerantes, doces e fibras em excesso. "Aos poucos a própria mulher perceberá quais são os alimentos que causam desconfortos ao seu bebê", pontua Flávia Ferazzo Figueirêdo.


- Ingerir diariamente o número de porções adequadas de cada um dos grupos de alimentos - o que vai depender da idade, peso, altura, nível de atividade física, tipo de aleitamento materno praticado (exclusivo ou misto) e número de bebês que está amamentando.

- Fazer cerca de 6 refeições diárias (3 principais e 3 lanches mais pequenos), mais ou menos de 3 em 3 horas.

Por Catharina Apolinário

Comente