Dicas para aliviar as cólicas do bebê

Dicas para aliviar as cólicas do bebê

É comum as mães ficarem preocupadas ao verem seus bebês chorando, mesmo quando estão de barriguinha cheia e com a fralda limpinha. Um dos motivos que deixam os pequeninos bastante incomodados é a cólica.

Essas dores assolam o bebê porque seu sistema digestivo ainda é imaturo e precisa de um tempo para aprender a trabalhar direitinho. Mas não são todas as criancinhas que sofrem com as cólicas, conforme explica Dr. Marcelo Reibscheid, neonatologista e pediatra do Hospital São Luiz:

"Em torno de 2/3 dos lactentes apresentam essas dores, sendo que o intervalo normal é do primeiro ao terceiro mês. Normalmente a cólica aparece no meio das manhãs, mas principalmente à noite, em torno das 19h, podendo-se estender até as 12h", diz Dr. Marcelo.

As mães de primeira viagem nem sempre conseguem identificar quando o choro do bebê é por conta das cólicas. Mas o especialista conta que outras características compõem a situação: "No momento da cólica o bebê apresenta um choro diferente, ‘ardido’, sentido, expressando a dor na face. Fica com a barriga muito dura e faz um movimento de flexionar e estender as pernas em repetição."

Para aliviar o desconforto dos bebês algumas mães recorrem às massagens. "As mais indicadas são as feitas na barriga com óleos especiais em movimentos horizontes e em sentido horário. Outra forma de massagem muito útil é a shantala. Esta poderá ser feita em bebes com mais de um mês", orienta Dr. Marcelo.

O ideal é que a mãe use apenas as mãos e evite qualquer tipo de instrumento, pois pode machucar o bebê. Se for usar óleos, o neonatologista indica somente aqueles que são específicos para os pequenos, como óleo de semente de uva e de amêndoas.

Jaqueline Souza, 27 anos, mãe de Isabela, de seis meses, conta que sua bebê teve fortes cólicas até os três meses e meio. "No primeiro mês eu não sabia como amenizá-las e minha filha chorava dia e noite. Depois que pesquisei na internet e recebi alguns panfletos sobre massagens, decidiu recorrer ao método e deu certo", diz.

Com as palmas da mão, Jaqueline começava a massagem na boca do estômago e ia deslizando até o ventre de Isabela. Também fazia movimentos circulares, no sentido horário, perto do umbigo. "Iniciei os procedimentos depois do banho, até que passei a fazê-las em minha filha de três a quatro vezes por dia", explica.


Outra mãe que também recorreu às massagens para aliviar as cólicas o filho foi Danielli Cristina Costa Silva, de 32 anos. Ela aprendeu as massagens em programas de TV e passou a fazê-las em Enzo, hoje com seis meses. A ideia inicial era acalmá-lo com o método e, quando ele teve cólica com três meses e meio de vida, a massagem também foi eficiente.

"A mãe deve deitar o bebê de barriga para cima, numa superfície lisa, e movimentar as perninhas dele, como se fosse uma bicicleta. Outra dica é passar as mãos nos cantos na barriga e no umbigo, com movimentos circulares", conta. "Para que minhas mãos deslizassem melhor, eu passava cremes próprios para bebê. O Enzo ficava mais calmo, cheiroso e com a pele brilhante", completa.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente