Crianças que mamam no peito têm dentes mais saudáveis

Este é só mais um dos inúmeros benefícios da amamentação
amamentação-dentes

Foto - Shutterstock

Muito se fala das vantagens da amamentação, tanto para a mãe quanto para o bebê. Mas é fundamental, também, analisar o papel da amamentação do ponto de vista mecânico. 

A forma com que a criança usa os maxilares, a língua e os músculos faciais para mamar faz toda a diferença no seu desenvolvimento, resultando em uma saúde oral melhor do que aqueles bebês que usam mamadeira desde cedo.

Alguns especialistas da saúde já vinham divulgando como é crítico o papel do aleitamento materno no desenvolvimento da mordida, dos dentes e da respiração. 

Depois de examinar mais de mil crianças em idade pré-escolar, pesquisadores perceberam que aqueles amamentados no peito por pelo menos seis meses apresentavam menos problemas relacionados ao alinhamento e apinhamento dos dentes.

Na opinião da odontopediatra Sandra Kalil, professora da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, a amamentação exige do bebê uma sofisticada coordenação de músculos e movimentos de mandíbula e língua.

 “O uso de mamadeira e garrafinhas é totalmente diferente, já que o líquido passa com muita facilidade pelos respectivos orifícios, não exigindo movimentos tão importantes por parte da criança. Ou seja, o bebê tem de trabalhar mais se quiser mamar no peito, tanto que em algumas situações se mostram cansados”.

Unanimidade entre as principais organizações de saúde, a amamentação deve durar seis meses, podendo se estender até a criança completar um ano, ainda que ela já esteja se alimentando de outras formas.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: saúde bucal dentes amamentação