Como não deixar o companheiro de lado após o nascimento do bebê

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Papais deixados de lado

Quem tem um bebê sabe o quanto é difícil conciliar as tarefas de mãe, esposa e dona de casa. E se o filho é um recém-nascido, aí é complicado arranjar tempo para outra coisa. É nesse momento que começam a surgir as primeiras queixas por parte dos maridos. Eles passam a se sentir deixados de lado e têm dificuldades em assimilar as mudanças.

"Quando um casal espera um bebê, seja ele planejado ou não, inevitavelmente precisa reorganizar a vida conjugal e até mesmo o espaço físico onde vive para a chegada da criança", afirma Cynthia Boscovich, psicóloga que mantém o website Cuidado Materno. Principalmente após o nascimento do primeiro filho é comum o pai se sentir deslocado. "É importante que ela assegure ao marido que o bebê necessita desses cuidados não só para sobreviver, mas principalmente para se constituir física e psiquicamente saudável", recomenda a psicóloga.

Os novos papais precisam entender o quanto é difícil para a esposa essa fase de adaptação. Sem contar que o bebê é um ser completamente dependente dela. Suas necessidades vão além das emocionais, são precisões físicas como, por exemplo, banho, alimentação e trocas de fraldas constantes. "Saber que esta fase é passageira contribui para que o casamento não seja abalado. A união do casal em prol destes cuidados com o bebê pode reforçar ainda mais o espírito de família e o equilíbrio da relação", explica Cynthia.

Uma alternativa para a mamãe é contar com a ajuda de alguém que possa lhe dar assistência nos cuidados com o bebê e com a organização da casa. Assim, ela poderá descansar, não estará tão exausta e poderá aproveitar um pouco a companhia do marido para jantar ou simplesmente ver um filme na Tv. "Não deixe seu marido esquecer: o período de dependência absoluta do bebê tende a passar na medida em que ele vai crescendo", lembra a psicóloga.

Outra dica importante é não excluir seu companheiro dessa fase, fará bem à família que ele participe dos primeiros dias do seu filho. "Se ele estiver presente e disposto a conhecer o seu bebê, certamente se beneficiará muito com isso, além de contribuir e enriquecer o seu próprio mundo como pai e consequentemente o mundo de seu filho", diz Cynthia. "A formação de um bom lar depende da aceitação desta condição inicial de ambos, que inclui compreender a dependência do bebê e a responsabilidade que eles têm pela existência do pequeno, que não pode se desenvolver inicialmente sozinho, sem seus cuidados", completa.


Nos casos em que esse incômodo gera estresse, a recomendação é procurar ajuda psicológica. "A depressão pós-parto pode acontecer não só com a mulher, mas também com o homem, pois ambos estão vivendo um momento de mudanças que são não só externas, mas também internas e individuais", esclarece a especialista. A mãe nos primeiros meses estará totalmente voltada para atender às necessidades de seu filhinho. Por isso que é perfeitamente natural que no início de vida do bebê, a mulher diminua a atenção ao seu marido. Só cuide para que algo que é natural não atrapalhe a estabilidade do seu relacionamento.

Por Bianca de Souza (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: filhos bebês nascimento bebê