Comigo deu certo! Mãe ensina como dar as primeiras papinhas

Mãe ensina como dar as primeiras papinha

Foto: Jamie Grill/Corbis

Uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras, legumes e grãos é a garantia de que a criança terá todas as vitaminas e nutrientes essenciais para um crescimento saudável. Porém, nem sempre convencer os pequenos a comer é uma tarefa simples e fácil.

Não quero feijão, não gosto de pera ou brócolis são os argumentos mais comuns usados por eles. E em meio a tantas rejeições o que os pais podem fazer? O primeiro passo é manter a calma e utilizar alguns métodos para estimular as crianças. Foi o que fez a assessora de imprensa Simone Arrifano, 31 anos, mãe da Laura Lopes de Santana, de quatro aninhos.

Ela relata que a filha mamou exclusivamente no peito durante seis meses. Passado o período da licença-maternidade, ela inseriu papinhas doces feitas de frutas em casa. "Completei com papinhas salgadas e utilizava legumes adocicados, como cenoura, beterraba e mandioquinha, sempre acompanhados por carne ou frango", diz ela.

Tempo depois, a mãe de Laura foi deixando a comida mais salgadinha com outros ingredientes. "Isso fez com que ela não sentisse tanta diferença", informa, garantindo que o segredo para estimular os sentidos pelos sabores é não adotar as papinhas prontas. "Sempre fiz caseiramente. As papinhas sempre tinham, no mínimo, duas verduras, três legumes e um tipo de carne. Não batia no liquidificador, apenas usava o processador para triturar os alimentos crus e cozinhava tudo junto".

Para Simone, a filha não enjoava devido à variação dos sabores. "Até hoje o paladar dela é ótimo. Inclusive tem coisas que eu e meu marido não comemos, mas ela adora. Um exemplo é o quiabo", garante.

Outro método utilizado foi o de nunca forçar a comida. "Teve um período em que ela não queria comer. Pode parecer um pouco rude, mas se ela não queria, não comia. Em contrapartida, não deixava de comer nada até a hora da próxima refeição. Quando fiz isso, durou dois dias a birra. Acho que ela queria me mostrar que era ela quem decidia", relatou Simone.

Acompanhe algumas das dicas destacadas por Simone que deu certo com Laura:

1) Na transição da mamadeira escolha alimentos saudáveis e não esqueça da carne ou frango (não bata no liquidificador, mas deixe bem triturado. Sentir a textura do alimento também faz parte do aprendizado de comer.

2) Deixe a criança pegar na comida, fazer sujeira. O tato é importante e é a fase oral. Colocar as coisas na boca dá prazer e nada melhor do que colocar comida.

3) Deixe as papinhas industrializadas somente para situações emergenciais, tipo uma saída, uma festa...

4) Crie uma rotina de alimentação, com horário certo. A rotina para o bebê é importante, assim ele vai saber que é hora de comer e dará menos trabalho.


5) Não force o bebê a comer. Entretanto, não substitua as refeições por guloseimas ou outras opções. Tudo bem ele não gostar de uma determinada papinha. Sendo assim, na próxima substitua os ingredientes. Novas opções de legumes e verduras estimula o paladar. Quando os dentinhos começarem a nascer, ofereça alimentos individuais. Por exemplo, se for a cenoura cozida, somente ela. Assim ele começa a identificar e se acostumar com cada alimento.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente