Chupar o dedo faz tão mal quanto a chupeta?

Existe diferença entre a criança chupar o dedo e chupar chupeta? Entenda os efeitos a longo prazo
chupeta chupar dedo

Foto: iStock_VILevi

Uma das cenas mais fofas que podemos ver por aí é de um bebê chupando o dedinho. Mas será que a prática faz tão mal quanto a chupeta? O que nem todos sabem é que o hábito, que já é feito desde a vida intrauterina, é feito para que o pequeno possa se acalmar. 

Por isso, os especialistas explicam que, no entanto, chupar o dedo, assim como a chupeta, pode ser prejudicial para o desenvolvimento dos ossos da face, da dentição, da musculatura orofacial e inclusive da fala.

“A primeira coisa que os pais precisam entender é que todo bebê passa por uma fase oral, isto é, a succão acalma essa criança em casos de susto, cansaço, estresse, insegurança etc.”. Por isso, é importante deixar esses aparatos apenas para esses momentos específicos e não usar o dia todo,  diz a dentista odontopediatra Dra. Claudia Romani, da Clínica Sinthesi, da capital paulista.

Mas, qual é pior para a criança? Tanto a chupeta quanto o dedo são prejudiciais, segundo a Dra. Claudia. “Durante a sucção, a língua é deslocada para baixo da chupeta ou do dedo, saindo de sua posição normal que seria no palato, portanto, ao longo do tempo, com o uso indiscriminado, isso pode alterar o crescimento dos ossos e a função dos músculos. A criança pode ficar com mordida cruzada, palato ogival (alto), dentes tortos e até deformidade facial”, conta a dentista.

A vantagem da chupeta, neste caso, é que os pais conseguem controlar o uso pelo bebê, pois eles que a oferecem ao pequeno. No caso dos dedos, eles estão sempre à disposição e no controle do bebê, tornando mais difícil tirar esse vício.

“Tirar o dedo ou a chupeta da criança não é fácil, mas é algo que deve ser estimulado pelos pais e cuidadores com elogios e muita paciência. O ideal é que esse hábito seja removido gradualmente até os dois anos de idade”, conclui a dentista.

Comente