Carrinho de gêmeos: como escolher?

Carrinho de gêmeos como escolher

Double Decker. Foto: Divulgação

Um dos itens que merecem atenção especial dos pais é o carrinho de bebê. Comprado com antecedência, o produto precisa estar de acordo com as normas de segurança e garantir o conforto dos pequenos. Quando o carrinho é para gêmeos a preocupação é um pouco maior, pois é preciso avaliar o modelo que gera mais praticidade para os pais.

"A primeira coisa que os pais devem saber é se o carrinho reclina totalmente, pois esse fator precisa se adequar à idade do bebê que vai utilizá-lo", explica Élio Santini, diretor industrial da Burigotto e diretor do conselho da ABRAPUR (Associação Brasileira de Produtos Infantis).

Outro fator é importante é medir a largura do carrinho, para saber se ele passa nas portas, a largura comum é de 80 centímetros, e entra nos porta-malas dos carros. Caso contrário, ficará difícil transitar com as crianças. "Atenção também aos itens de segurança básicos: cinto de cinco pontos e freio de segurança na rodas traseiras. Se o cabo por reversível, o ideal é que haja freio nas quatro rodas", alerta Élio.

A forma como o carrinho é fechado também deve ser levado em consideração na hora da compra. O diretor industrial da Burigotto lembra que alguns carrinhos fecham como se fossem um guarda-chuva e cabem perfeitamente no carro. "Se o carrinho não possuir este mesmo mecanismo, pode ser que não caiba confortavelmente no porta-malas", diz.

Há pais que não gostam de usar carrinhos de gêmeos e preferem comprar os individuais. Isso porque, às vezes, um está chorando e o outro dormindo. Mas neste caso, os pequenos só podem sair de casa se cada carrinho tiver uma pessoa responsável, por questões de segurança.

Os carrinhos duplos também são usados por pais que possuem filhos pequenos, mas com idades diferentes, por conta da praticidade.

Élio comentou as características dos carrinhos encontrados no mercado. Confira:

Carrinho duplo com uma cadeira ao lado da outra: os dois têm a visão de tudo o que acontece. Só é preciso ver se o carrinho passa pelas portas. Atualmente muitos modelos têm menos de 80 centímetros de largura, para facilitar a vida dos pais.

Carrinho duplo com uma cadeira atrás da outra: apenas o bebê que está na frente tem uma boa visão. O que está atrás não enxerga nada. E dependendo de como é o fechamento do carrinho, talvez ele não caiba no porta-malas.

Carrinho duplo com uma cadeira em cima da outra: neste caso é preciso observar a limitação de peso da parte inferior, pois o bebê que fica embaixo deve ter no mínimo seis meses e no máximo 15 quilos.


Trava para carrinho (adaptador para unir carrinhos individuais): é uma opção para quem não faz questão de comprar o carrinho duplo, mas é importante lembrar que dois carrinhos unidos não passam na porta.

Há dois tipos de carrinhos: o berço e o passeio. Os de berço são totalmente reclináveis e os de passeio só parcialmente. Tanto o carrinho duplo com cadeiras dispostas lateralmente quanto o que traz uma cadeira da outra costumam ser modelo berço. Já os que têm uma cadeira em cima da outra são ideais para passeios.

"Os bebês recém-nascidos devem sempre usar os carrinhos modelo berço. A partir dos seis meses já podem sentar e fazer uso dos modelos de passeio", orienta Élio.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente