Cálculo revela a altura média dos filhos

Foto: Simon Jarratt/Corbis

Uma preocupação muito comum entre os pais está relacionada ao crescimento dos filhos Muitos deles chegam a comparar a altura da criança com a dos coleguinhas para identificar se tudo está em ordem. No entanto, essa dúvida pode ser esclarecida de uma maneira bem simples, por meio da soma da altura da mãe com a do pai.

Isso mesmo! O pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da MBA Pediatria, clínica especializada em saúde infantil, explica que para saber a estimativa da estatura da criança, quando a determinante for apenas genética, há dois cálculos básicos: para as meninas a média está entre a estatura do pai (-13cm), somando à estatura da mãe; para os meninos, a fórmula se dá pela média entre a estatura da mãe (+13cm) e a estatura do pai.

Acompanhe o cálculo da estatura parental média de um filho e uma filha de pais com as seguintes estaturas: o pai tem 172,72cm e a mãe tem 157,48cm, conforme dados de uma pesquisa apresentada pela American Family Physician:

Filho: [172,72cm + (157,48cm + 13cm)] ÷ 2 = 171,6cm ou 1,70 metros

Filha: [(172,72cm - 13cm) + 157,48cm] ÷ 2 = 158,6cm ou 1,58 metros

De acordo com Sylvio Renan a altura dos pais determina a altura dos filhos pelo fato de que ao nascer, o bebê traz consigo 50% do DNA de cada um de seus pais. Assim, metade dos genes virá da mãe e outra metade do pai. E, juntos, vão determinar a altura que será alcançada após o crescimento.

O médico diz que outros fatores também podem alterar tal estrutura, como o nutricional, psicoafetivo, endócrino e atividade física. "A ciência observa que existe uma tendência, na qual a média da altura dos filhos seja um pouco maior que a dos pais. A isto dá-se o nome de ‘tendência secular de crescimento’", E garante: "Essa mudança se deve muito à melhora das condições da saúde (menos doenças devido a medidas preventivas, como saneamento básico, higiene pessoal, melhor nutrição, imunizações, entre outros)."

Entretanto, o pediatra orienta que a melhor maneira de prevenir o déficit no crescimento é o acompanhamento rotineiro com um pediatra para avaliar peso, estatura e análise através de gráficos pré-elaborados para averiguar se existe a necessidade de fazer outros exames e corrigir a falhas.

Além disso, ele relata que durante a adolescência é necessário uma consulta anual para acompanhar bem o desenvolvimento. "É nesta fase que acontece o crescimento esquelético linear, a alteração da forma e composição corporal, o desenvolvimento de órgãos e mudanças no sistema reprodutivo sexual", diz Sylvio Renan.


E finaliza: "A puberdade é sinônimo de que o corpo está passando por transformações, para chegar às características de um corpo adulto. Por isso, se ocorrer um déficit muito cedo, pode ser que o adolescente tenha um crescimento abaixo do esperado".

Por Stefane Braga (MBPress)