Bolsa de praia do bebê - tudo que você precisa levar

Bolsa de praia do bebê

Foto: Divulgação Kid Factory

Viajar com crianças pequenas exige mais cuidados do que se imagina. Ainda mais quando o passeio vai desembocar na praia. Na bolsa da mamãe sabemos o que levar (protetor solar, óculos, chapéu, saída de praia....) mas e na bolsa de praia do bebê, o que não pode faltar?

Para que as mães não fiquem em apuros na hora do lazer das crianças na praia conversamos com alguns especialistas sobre o tema. A primeira coisa antes de arrumar a bolsa é se atentar à idade da criança. "Após os seis meses, o bebê pode frequentar a praia, já que um ciclo de vacinações já foi completado. E o horário ideal é antes das 10h e após às 16h", orienta Dra. Fátima Rodrigues Fernandes, pediatra do Hospital Infantil Sabará.

Agora vamos à arrumação da bolsa de praia. Confira os principais itens:

03 ou 04 fraldas descartáveis extras: "Como os pais usam as fraldas à prova d’água, é importante trocá-la a cada três horas, para evitar que a região coberta por ela fique úmida demais e aumente as chances do desenvolvimento de assaduras", explica Dr. Fátima.

Lenços umedecidos: Eles são para limpeza da região da fralda. Se você puder usar água de um chuveiro, é ainda melhor. "Este item também é importante para ajudar na limpeza das mãos, já que os bebês adoram colocar tudo na boca, principalmente areia na praia", lembra a pediatra do Hospital Infantil Sabará;

02 mamadeiras: para não ter de lavá-la, a pediatra sugere que se deixe uma somente para água e outra onde poderá colocar água de coco ou suco natural;

02 chupetas: Aqui cabe a mesma tática da mamadeira: "Se uma cair no chão e não tiver como lavar, você tem a outra na manga. Além disso, é bem provável que os bebês se cansem e durmam nesse período", lembra Dra. Fátima.

Toalha: a especialista afirma que os bebês sentem mais frio, por isso é importante protegê-los e secá-los antes de ir embora.

Piscina de plástico pequena: "Não é recomendado colocar o bebê em contato direto com a areia, por isso a piscina de praia, com um pouco de água do chuveiro próximo, nunca do mar, é o caminho para evitar que a areia entre na fralda, incomodando o pequeno", argumenta Dra. Fátima. A consultora de organização pessoal, doméstica e empresarial, Ana Maria Afonso, completa: "A piscina também é uma forma de manter a criança sob o abrigo do guarda-sol."

[galeria]

Protetor solar: Dra. Fátima recomenda aqueles com fatores altos, acima de 30, com proteção química e física. "Ideais são aqueles feitos especialmente para crianças, que são hipoalergênicos. Repasse o protetor a cada 40 minutos, principalmente se estiverem em contato com a água. Doutor Cid Fernando Pinheiro, pediatra do hospital maternidade São Luiz, acrescenta: "É interessante usar protetor solar também para o rosto e para os lábios, pois aliviam a sensação de calor."

Guarda-sol, boné/chapéu, camisetas leves (de puro algodão e larguinhas), sandálias/chinelos: "O chapéu e a roupa são uma forma de proteção e funcionam como barreiras físicas para o sol. E o calçado protege contra areia quente e evita acidentes indesejáveis, que envolvem pisar em algo", lembra a pediatra do Hospital Infantil Sabará;

Brinquedos de praia (baldes, pazinhas, formas para moldar em areia): "Eles são ótimos para entreter, além de serem educativos. Opte por aqueles que são facilmente higienizados e que podem molhar", orienta Dra. Fátima. "Hoje em dia, como a maioria dos pais trabalha fora, é no período de férias que a família se aproxima mais. Portanto, nesses momentos, aproveite para montar castelos com a criança e, dependendo da idade, inicie atividades físicas", completa Dr. Cid Fernando.

Medicação Se a criança tiver alguma doença, como asma, por exemplo, não se esqueça de levar os remédios prescritos pelo pediatra. Também não se esqueça de bolachas secas, sem recheio, e algumas frutas, como banana e mexerica - desde que bem acondicionadas, podem ser levadas à praia.


Ana Maria Afonso lembra que, assim como em qualquer lugar de passeio, as crianças devem estar sempre supervisionadas por adultos na praia, por ser um lugar muito movimentado. E o Dr. Cid Fernando finaliza com outro alerta: "A água do mar é a grande vilã das praias, até por conta dos afogamentos. Por isso, é recomendado que a criança nunca vá até o mar sozinha."

Por Maday Florencio e Juliana Falcão (MBPress)

Comente