Berço do bebê - dicas de segurança

Berço do bebê  dicas de segurança

No Brasil é obrigatório que os berços tenham um selo de certificação, porém, não existe nenhum órgão para este tipo de regulação. Isso pode ser um risco, já que muitos pais não sabem o que torna um berço seguro ou não para o bebê. Segundo Rosana Moraes, assistente de projeto da ONG Criança Segura, a exigência do selo do Inmetro está em votação, ainda que não exista. "Isso porque a maior frequência de acidentes não é em berços, mas sim com alimentos, peças pequenas de brinquedo, etc".

Ainda que sejam poucos os acidentes, eles existem, como alerta Paulo Roberto Araújo, Diretor de Marketing da marca de berços Girotondo "Muitos acidentes são causados por um uso inadequado. Os berços têm uma idade limite que precisa ser observada. A prevenção é a melhor forma de cuidar do bebê." Essa prevenção consiste também em observar o berço na hora da compra e ver se atende aos requisitos de segurança.

Rosana explica que uma dessas características é que as grades do berço tenham espaçamento de cerca de cinco centímetros para evitar que a criança caia, trave ou entale. Outra observação é com a madeira, se é resistente e se a pintura é adequada.

No mais, a grande preocupação é como os pais vão lidar com o bebê e o berço: "A orientação é que a criança durma sem brinquedo ou bicho de pelúcia e com barriga para cima. Dessa forma há um índice menor de engasgamento, conforme a Associação Pediátrica orienta", explica a assistente da ONG. E completa: "No caso de frio, não use muita coberta. Agasalhe bem a criança e a cubra com uma coberta fina abaixo do ombro". É importante também que a criança durma posicionada do meio do berço para baixo, nunca perto da cabeceira.


Conforme a criança vai crescendo, a atenção precisa ser redobrada. Portanto, cuidado com cordas ou qualquer outro objeto onde o bebê possa se engasgar ou causar um enforcamento.

Por Bárbara Ariola (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: filhos bebês dormir bebê berço