Bebê quase sem cérebro sobrevive por dois anos

De acordo com os médicos, o bebê teria no máximo três dias de vida. Conheça o bebê que desafia a medicina!
Aron bebê cérebro

Foto - Reprodução/Mirror/EmmaMurray

Ele tem menos da metade do cérebro, mas isso não o impediu de se tornar um verdadeiro guerreiro. Esta é a história de Aaron Murray, um garotinho que desafia a medicina todos os dias pelo fato de sobreviver à holoprosencefalia - transtorno caracterizado pela ausência do desenvolvimento do cérebro.


De acordo com a mãe de Aron ao site britânico Mirror, a expectativa de vida do bebê ao nascer era quase nula e muito incerta." Me foi dito que não havia possibilidade de vida para ele. Ele poderia viver durante três minutos, três horas ou três dias", contou.

Aron bebê cérebro

Foto - Reprodução/Mirror/EmmaMurray

A gravidez do bebê foi um susto para a mãe, Emma, que não sabia que estava grávida. Após sentir fortes dores, a mãe foi levada ao hospital achando que estava com apendicite. Para o espanto de todos, ela estava em trabalho de parto.

"Com o meu filho mais velho, eu não tive nenhuma dúvida de que estava grávida, mas com Aron eu ganhei pouco peso, não me senti mal e não tive nenhum tipo de desejo. Além disso, minha menstruação não parou", explica.

Aron bebê cérebro

Foto - Reprodução/Mirror/EmmaMurray

De acordo com os médicos, a falta do acompanhamento pré-natal pode ter sido determinante para o estado de saúde do bebê. Isto porque a mãe não tomou os cuidados necessários durante a gestação, comprometendo o desenvolvimento do feto.

Apesar da condição irreversível, o diagnóstico não impediu a mãe lutar a favor da vida do filho. Após oito semanas no hospital, ela levou Aron para casa dando todo o amor e carinho que o pequeno precisava, além de amamentar normalmente. Para a surpresa dos médicos o bebê passou, sim, de três dias. Tanto que neste mês ele completou dois anos de idade. Graças à sua luta pela vida ele consegue até rir e dizer "mamãe", desafiando a medicina.

Aron bebê cérebro

Foto - Reprodução/Mirror/EmmaMurray

"Fomos informados de que Aaron sempre teria a idade mental de um recém-nascido, mas podemos ver que ele é muito mais consciente do imaginam. Ele é cercado de amor e é notável que ele gosta de estar envolvido em tudo o que está acontecendo", disse.

Otimista, ela completa. "Nós não sabemos o que o futuro nos reserva, mas sabemos que Aaron é um menino feliz, contente!".

Por Thamirys Teixeira

Comente