Bebê cheiroso é bom, mas produtos exigem cuidados

Bebê cheiroso é bom mas produtos exigem cuidados

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Quem resiste ao cheirinho de um bebê? Quase ninguém. Porém, as mães devem tomar cuidado para não exagerar no uso dos produtos de higiene em seus filhos, pois podem causar alergias . Algumas mães dão banho várias vezes ao dia, outras usam dezenas de lencinhos umedecidos nas trocas de fraldas e exageram no shampoo no momento do banho.

A indústria de cosméticos para bebês é enorme e as opções são muitas. Novos produtos surgem nas prateleiras todos os dias. Marca, cor, tipo de embalagem: o que as mães devem levar em conta na hora de optar por esse ou aquele sabonete, shampoo, creme hidratante ou de limpeza para bebês e crianças pequenas?

Antes de tudo, é importante verificar se os produtos são dermatologicamente testados e hipoalergênicos. Não há indicação do uso dos hidratantes, por exemplo, abaixo dos seis meses, o que nem sempre é respeitado pelas mães.

Dermatologistas explicam que cuidados devem ser tomados para não provocar alergias e irritações na pele delicada do bebê. O ideal é dar um banho por dia no bebê. Se estiver muito calor, podem ser dois. Mas o segundo dispensa sabonete.

Confira algumas dicas de cosméticos que podem ser usados sem causar problemas:

Sabonete sem cheiro - Existem muitas opções, o ideal é escolher um neutro de pH 5,5 e sem muito cheiro. Lembre-se que seu bebê ainda tem um sistema de defesa imaturo. Por isso, existe um risco de infecções, irritações e alergias. A dica é bem simples: quanto menos pH, melhor.

Shampoo neutro é o indicado - Não há comprovação de que o extrato responsável pelo perfume do shampoo traga benefícios à criança. O ideal é você escolher um produto neutro com o mínimo de perfume e corante. Além disso, dispense a preocupação de escolher do shampoo para cabelo liso, cacheados, etc. Isso não faz diferença para o bebê que ainda nem completou um ano.

Creme hidratante - Antes dos seis meses não há indicação do uso. Reserve o uso do hidratante para casos específicos como peles ressecadas devido a dermatoses como a dermatite atópica. Ou, ainda, para atípicas condições ambientais como inverno intenso, aquecedores e baixa umidade do ar. Nestes casos, sim, é recomendável, mas utilize produtos neutros e passem na criança até três minutos depois do banho para não reduzir a eficácia do produto

Evite o talco - Algumas mães enchem as crianças de talco para deixá-las cheirosinhas. Não é recomendado usá-lo porque o pó aspirado pelo bebê pode causar problemas respiratórios e alérgicos.

Óleo - A mesma regra para o hidratante: o uso não é indicado. Mas, caso o bebê esteja com a pele ressecada, a mãe pode optar entre o hidratante e o óleo. Se você preferir o óleo, escolha versões vegetal ou mineral. O de origem vegetal causa menos irritação, é mais absorvido e pode ajudar na limpeza do umbigo. Além disso, pode ser usado na remoção de caspas do couro cabeludo e ser passado minutos antes do banho. No lugar do óleo ideal é usar água e sabão neutro.

Uso de colônias - Esta é uma dúvida constante. Passar ou não colônia? Os dermatologistas são taxativos: o ideal seria não usar porque o produto contém substâncias que entram em contato com a pele sem necessidade e podem causar irritação e alergia. A recomendação é passar na roupinha do bebê e bem pouquinho.


Protetor solar - A partir dos seis meses, filtros solares específicos são indicados de acordo com a idade para proteger o bebê dos efeitos nocivos do sol. A maior recomendação é que ele permaneça à sombra, vestido com roupa leve e, a exposição ao sol, só aconteça no período da manhã (antes das 10h) ou no final da tarde (após às 16h). Você deve escolher um protetor com fator de proteção alto, ou seja, acima de 30.

Por Carmem Sanches

Comente